Gratuitidade das creches alargada ao setor privado

Governo anuncia que, partir de janeiro de 2023, as crianças que não tenham vaga no setor social vão poder ser colocados na rede privada. Vai ser lançado, este mês, um novo aviso para criar mais cinco mil lugares.

O governo vai alargar ao setor privado a gratuitidade das creches para crianças nascidas a partir de setembro de 2021.​​​​​​ A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, afirmou, esta quarta-feira, no Parlamento, que o governo vai "estabelecer acordos com instituições do setor privado para que, a partir de janeiro, as crianças que não tenham vaga nas creches no setor social possam ter um lugar na rede privada".

Questionada pelo deputado do Iniciatival Liberal, Rui Rocha, sobre o número de crianças que não conseguiram ser colocadas num infantário da rede solidária, a ministra revelou que ainda não tem dados. Contudo, indicou que o governo "criou um espaço de email próprio para que as pessoas possam informar a Segurança Social quando não têm vagas".

A governante revelou que ainda não tem o balanço das crianças abrangidas pela gratuitidade das creches que arrancou este mês. Porém, voltou a lembrar que a previsão do executivo é que, este ano, cerca de 46 mil crianças possam beneficiar desta medida.

Ana Mendes Godinho recordou que a rede mais forte é a do setor social, que tem 78 mil vagas, tendo o setor privado apena 17 mil lugares.

Nos últimos dois anos, o governo aumentou em mais 7200 as vagas na rede de creches. A ministra anunciou que, este mês, o executivo vai lançar "um novo aviso, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), para criar mais cinco mil lugares em creches, através de construção ou reconversão de espaços existentes, sobretudo em zonas com menor taxa de cobertura".

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG