PAN erra sobre défice. Governo diz que se mantém nos 0,2%" no próximo ano

O deputado do PAN, no final da reunião desta manhã com o Ministro das Finanças, disse que o governo estava a trabalhar com um intervalo entre "0 e os 0,2%. Mas foi "erro" de André Silva. Governo mantém os 0,2%.

O PAN reconheceu erro ao falar de um intervalo entre "0 e 0,2% do PIB" para o défice de 2019.

A indicação foi avançada na manhã desta terça-feira pelo deputado do PAN (Pessoas, Animais e Natureza) depois de uma reunião com o Ministro das Finanças, no Parlamento. Questionado sobre o valor do défice para 2019, o deputado André Silva afirmou que o Ministro "não referiu [um valor exato], mas, de facto, próximo de zero, entre 0 e 0,2%."

Contactado pelo Dinheiro Vivo, o gabinete do ministro das Finanças, reafirmou que a meta para o saldo orçamental em 2019 se mantém nos -0,2%, valor igual ao inscrito no Programa de Estabilidade apresentado em abril deste ano. O gabinete do deputado do PAN acabou por confirmar que tinha sido um erro de André Silva.

Mário Centeno está a receber esta terça-feira os partidos para apresentar as linhas gerais do Orçamento do Estado para o próximo ano que é entregue na Assembleia da República até ao próximo dia 15.

Crescimento do PIB de 2,2%

Para o OE2019, o Governo está a trabalhar com valores de crescimento de 2,2%, uma revisão em baixa ligeira face à estimativa de abril inscrita no Programa de Estabilidade (PE). Também o valor da dívida desce de forma marginal face à previsão do PE para 117% do PIB (em abril as Finanças apontavam para 118,4%)

"Mário Centeno diz que no próximo ano prevê um crescimento na ordem dos 2,2%, uma taxa de desemprego a fixar-se na ordem dos 6% e uma redução da dívida para 117% do PIB", afirmou o deputado do PAN no final do encontro com o Ministro das Finanças.

André Silva salientou que o cenário macroeconómico ainda não está fechado.

Fim da isenção do IVA para artistas tauromáquicos

"Pela primeira vez numa proposta inicial do Orçamento do Estado ela vai contemplar medidas do PAN, nomeadamente, o fim da isenção do IVA para artistas tauromáquicos", confirmou o deputado André Silva.

A medida há muito que era reclamada pelo partido que agora consegue obter esse ganho logo na Proposta de Lei que o Governo leva a discussão. O fim da isenção do IVA para os artistas tauromáquicos resultou de um compromisso com o Partido Socialista. "Há aqui claramente uma aproximação do Partido Socialista ao PAN e aquilo que é o sentimento geral da população portuguesa relativamente a esta matéria", afirmou o deputado André Silva.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG