Função pública ameaça governo com "primavera mais quente que o verão"

Negociações sobre salários chegam ao Natal num impasse. Estruturas prometem contestação se o governo não aumentar todos os trabalhadores.

Ainda ninguém abandonou a mesa das negociações, mas se o governo não for além dos 50 milhões de euros previstos para aumentar os vencimentos mais baixos da Administração, os sindicatos da função pública já fazem planos para sair à rua em fevereiro. As estruturas exigem aumentos para todos e ameaçam o governo com "uma primavera quente", “mais quente do que o verão”, em pleno ano eleitoral.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG