UGT quer aumento de 2,5% para funcionários públicos em 2018

Exigência foi aprovada por unanimidade na assembleia-geral da FESAP

A Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP), afeta à UGT, exigiu hoje que os salários dos trabalhadores da administração pública sejam aumentados em 2,5% em 2018.

Este aumento nominal dos salários mas também das pensões foi hoje aprovado por unanimidade na assembleia-geral da FESAP, que se realizou em Lisboa, e que juntou cerca de 30 sindicatos.

Em conferência de imprensa, após a reunião magna, o secretário-geral da FESAP, José Abraão, considerou que os trabalhadores da administração pública "não aceitarão mais congelamentos de salários e mais degradação das suas remunerações", estimando que nos últimos dez anos estes trabalhadores perderam 20% dos seus rendimentos.

Questionado sobre se há margem para negociar esta exigência com o Governo, José Abraão afirmou que a FESAP está sempre disponível para negociar, mas vincou a necessidade de haver um entendimento que pare a penalização que os funcionários públicos sofreram nos últimos anos.

O dirigente sindical vincou ainda a necessidade de o Governo descongelar carreiras, considerando que há "milhares de trabalhadores para progredir" e alguns "que nunca progrediram".

Exclusivos