Estrangeiros esgotam hotéis de luxo pagos a preços recorde

Os turistas internacionais com maior poder de compra estão a piscar o olho ao Douro, à Comporta, ao Algarve e à Madeira. Com preços altos e ocupação total, os hotéis mais caros já têm reservas até ao inverno. O regresso dos americanos e dos brasileiros tem ajudado a compor as contas.

Preços por noite que podem chegar aos dois mil euros, datas esgotadas e parte do inverno já reservada. Em poucas palavras, este é o cenário atual dos hotéis mais caros do país que estão de casa cheia à boleia do regresso dos mercados internacionais como o Reino Unido, a Alemanha, a França ou os Estados Unidos. A retoma dos turistas brasileiros tem ajudado também aos bons números. Há hotéis que assumem aumentos de preços superiores a 50%, face a 2019.

E o dinheiro não tem sido problema para os turistas que estão dispostos a gastar, a avaliar pela oferta disponível para os próximos meses nas unidades mais exclusivas do país, que até ao início de outubro têm já poucos quartos para vender. O segmento de luxo, conhecido por ser tradicionalmente um dos mais rápidos a recuperar depois de períodos de crise, tem beneficiado dos bons ventos e dos turistas que chegam ao país de carteiras recheadas.

"O forte aumento dos preços deve-se à robustez da procura. Previsto por alguns na pandemia, é o revenge travel, comum à classe média e alta e assenta num forte desejo de viajar após dois anos de impossibilidade. A sensibilidade ao preço diminui fortemente e a conjugação com elevados volumes de procura permitiu a companhias aéreas, hotelaria e demais serviços relacionados com o turismo aumentar significativamente as tarifas", analisam os partners da Neoturis, Eduardo Abreu e Luís Pedro Carmo Costa.

Leia a continuação do artigo no Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG