Empresário australiano põe fim ao mistério e admite ser "pai" da Bitcoin

A moeda digital encriptada que tanta controvérsia gerou ao longo dos anos tinha origens misteriosas

O empresário da tecnologia Craig Wright, australiano, disse esta segunda-feira à televisão britânica BBC que é o criador da controversa moeda digital encriptada (cryptocurrency) Bitcoin, pondo fim a anos de especulação acerca da identidade de uma pessoa que até hoje apenas se dera a conhecer pelo pseudónimo de Satoshi Nakamoto.

A BBC escreve que Wright deu provas técnicas que mostram que foi ele quem usou certas Bitcoins que já se sabia pertencerem ao criador desta moeda. A televisão britânica acrescenta que membros proeminentes da comunidade Bitcoin confirmaram a admissão de Wright. Wright terá feito as mesmas declarações ao semanário económico The Economist e à revista masculina GQ.

"Eu fiz a maior parte do trabalho, mas houve quem me ajudasse", disse Wright à BBC.

Wright afirma que decidiu tornar a sua identidade pública para acabar com a especulação acerca da identidade do misterioso Satoshi Nakamoto. Várias publicações têm, ao longo dos anos, identificado vários homens diferentes como os criadores da divisa digital, e Wright afirma querer pôr fim a essas "histórias". "Há muitas histórias por aí que foram inventadas, e não gosto que magoem as pessoas de quem gosto", afirmou. "Não me identifico porque quero. Não é uma escolha minha".

No ano passado, Wright tornou-se o mais recente de uma série de homens a ser acusado de ter criado a Bitcoin, uma moeda digital que atraiu o interesse de bancos, de especuladores, de criminosos e de reguladores, pelas suas características particulares que a tornam uma divisa excecional para uso na Internet.

A revista norte-americana Wired, juntamente com a publicação Gizmodo, publicou em dezembro um perfil de Wright em que se apoiavam em documentos pirateados para afirmar que era o criador da Bitcoin. A Wired descreveu o empresário como um génio. Poucas horas depois da publicação destas notícias, a polícia australiana fez buscas na casa de Craig Steven Wright, justificando-as, no entanto, com suspeitas já antigas de evasão fiscal. Wright não foi acusado de nenhum crime.

"Não quero nada ser a cara pública de seja o que for", disse agora Craig Wright à BBC, lamentando ter de se identificar. "Quero trabalhar, quero continuar a fazer aquilo que faço. Não quero dinheiro. Não quero fama. Não quero adoração. Só quero que me deixem em paz".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG