Efeito Brexit. Vodafone ameaça deixar Londres

A operadora deixou hoje o aviso de que poderá abandonar a sua sede central em Londres. Tudo dependerá das negociações do Brexit

A operadora de telecomunicações Vodafone alertou hoje que poderá deixar a sua sede em Londres, dependendo do resultado das negociações sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

Em comunicado, a empresa afirma defender o acesso "ao movimento livre de pessoas, capital e mercadorias" porque estes fatores ajudaram a impulsionar o crescimento da empresa.

A Vodafone, que emprega 13.000 pessoas no Reino Unido, acrescentou ser ainda prematuro chegar a uma "conclusão firme" sobre o lugar definitivo da sua sede, referindo que tudo dependerá das negociações.

No último ano fiscal, 55% do lucro da empresa teve origem nas operações europeias (11% no Reino Unido).

A Vodafone é uma das empresas mais importantes do índice principal da Bolsa de Londres, o FTSE-100, empregando cerca de 108.000 pessoas fora do Reino Unido.

A advertência da Vodafone sobre o futuro da empresa ocorre depois do Reino Unido ter votado a favor da saída da União Europeia.

Para iniciar a separação, o Reino Unido terá que invocar o artigo 50 do Tratado de Lisboa, que estabelece um período de dois anos para iniciar as negociações sobre os termos da nova relação entre as duas partes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG