EDP vai investir 300 ME até 2030 em projetos na área social

O CEO da EDP detalhou que a empresa está a investir nas comunidades locais, e num programa para formação para os trabalhadores afetados pelo fecho da central, com o objetivo de os reconverter para outras funções.

A EDP vai investir, até 2030, 300 milhões de euros em projetos na área social, incluindo de transição energética justa, em vários países, disse à Lusa o presidente executivo (CEO) da empresa, Miguel Stilwell d'Andrade.

"A EDP tem-se preocupado com tudo o que são temas ambientais, sociais e de governança", referiu, acrescentando que a empresa pretende focar-se "em temas como a exclusão social, pobreza energética" e posicionar a sua intervenção social na lógica da "transição energética justa".

Segundo Miguel Stilwell d'Andrade, o grupo pretende realizar um investimento de cerca de 30 milhões de euros por ano até 2030.

"Estamos a criar uma área específica dentro do grupo" para a coordenação de todo o apoio social nas várias geografias, chamada SICO (Social Impact Coordenation Office), revelou.

O CEO da EDP detalhou que, à medida que são descomissionadas centrais térmicas, a empresa está a investir nas comunidades locais, como por exemplo em Sines, num programa para formação para os trabalhadores afetados pelo fecho da central, com o objetivo de os reconverter para outras funções.

Outro exemplo, realçou, é a "promoção do solar solidário" para a instalação de painéis fotovoltaicos em zonas mais desfavorecidas e em IPSS, "promovendo a redução da fatura e produção de energia sustentável", referiu.

O CEO da EDP destacou ainda o investimento em África, através do programa 'Access to Energy'. "Estamos a duplicar os valores previstos para empresas em África que promovam o acesso a energias limpas. No ano passado estávamos a dedicar mais ou menos 500 mil euros por ano e neste momento vamos passar para cerca de um milhão de euros por ano. Estamos a falar de Angola, Moçambique, Nigéria, Malawi e Ruanda", referiu.

Neste projeto, a EDP investiu em três anos cerca de 1,5 milhões de euros em 20 projetos, adiantou. "Estimamos com isso benefícios diretos e indiretos em um milhão de pessoas em sete países em África. Estamos a duplicar o valor e esperamos que possa ser maior" este impacto no futuro, sublinhou.

Num comunicado, a empresa indicou ainda que prevê que estas iniciativas de promoção de uma transição energética justa representem cerca de 45% deste investimento total até 2030.

"Todos os projetos de âmbito social desenvolvidos no grupo terão, a partir de agora, uma nova identidade comum -- EDP Y.E.S. -- You Empower Society --, uma marca global e transversal que permitirá contar uma narrativa integrada sobre os vários projetos sociais da EDP, destacando o seu impacto positivo na sociedade", adiantou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG