EDP não pode tomar "medidas defensivas" contra OPA chinesa

É já no próximo dia 11 de junho, segunda-feira, que a EDP terá de se pronunciar sobre a OPA da China Three Gorges.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) esclareceu esta quarta-feira que a conduta do conselho de administração executivo da EDP, durante a pendência da OPA anunciada pela China Three Gorges, deve obedecer a determinadas normas. Ou seja, ainda que o o CEO António Mexia e restantes membros do conselho de administração não estejam sujeitos a restrições nem limitados nos seus poderes, não podem “adotar quaisquer medidas defensivas” perante a OPA.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG