Dez anos depois da crise, FMI diz que ainda há trabalho a fazer

O FMI pede que os reguladores não sejam "complacentes", alerta para risco dos juros baixos e que fundo de garantia de depósitos europeu.

O progresso é claro nos últimos anos, mas no que diz respeito a evitar crises nunca se deve cantar vitória. O Fundo Monetário Internacional (FMI) defendeu esta quarta-feira que desde a grande crise financeira muito foi feito para garantir a estabilidade financeira global. Mas avisa os reguladores de que é impossível reduzir o risco de crise a zero e que, por isso, o melhor é que sejam "humildes" e evitem "complacência".

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG