Cristina contesta pedido de indemnização de 20 milhões da SIC. Estação responde

SIC recusa as acusações da defesa de Cristina Ferreira que invoca o pagamento de uma dívida de mais de 220 mil euros da estação.

Cristina Ferreira já contestou o pedido de indemnização de 20 milhões pedido pela SIC, por ter interrompido unilateralmente o contrato que a unia à estação até 2022 e por compromissos comerciais assumidos impossíveis de se concretizar por causa da sua mudança para a TVI. A atual acionista da Media Capital, administradora e diretora de ficção e entretenimento acusa a estação do grupo Impresa de lhe dever mais de 222 mil euros, segundo a TV7Dias.

A SIC acaba de reagir. "A SIC foi notificada esta semana da contestação apresentada por Cristina Ferreira, no âmbito do processo que aquela intentou na sequência da cessação ilícita do contrato que a vinculava à SIC até 30 de novembro de 2022", começa por referir a estação.

A estação do grupo de Pinto Balsemão reage ainda às notícias que dão conta que a defesa de Cristina Ferreira diz que, apesar de lhe ter sido prometido, nunca lhe foi pedida "nenhuma colaboração relativa à segunda vertente da atividade ". Acusando ainda a SIC de estar "centrada no uso e exploração da sua imagem e denunciar elementos da sua personalidade".

A defesa da antiga apresentadora das manhãs SIC diz ainda que, por várias vezes, Cristina Ferreira se queixou do que lhe foi prometido e não cumprido em "almoços ocorridos entre si e Francisco Pedro Balsemão, onde este, ouvindo-a, lhe assegurou que iria mudar esta situação".

Mudança que não "ocorreu até ao termo do contrato". Cristina Ferreira reclama ainda uma dívida, de comissões de publicidade e outros serviços, no valor de 222.468,59 euros.

O que diz a SIC

"A SIC desde já dá nota de que não pretende discutir publicamente questões que estão concretamente submetidas à apreciação do Tribunal. Não obstante, face às notícias hoje publicadas, e tendo em vista a defesa da imagem e reputação da SIC - que aquelas pretendem pôr em causa -, cumpre esclarecer as seguintes questões", diz a estação.

"A pretensão da SIC assenta estritamente em factos objetivos e todos os factos apresentados foram acompanhados por provas robustas e maioritariamente documentais, pelo que se estranha que Cristina Ferreira acuse a SIC de "factos falsos" e "factos mistos de verdadeiros e falsos" com base no diz-que-disse e sem apresentar provas concretas e reais", pode ler-se em comunicado.

"A SIC repudia a ocorrência de qualquer incumprimento da sua parte, nomeadamente que Cristina Ferreira não tenha desempenhado efetivamente as funções de consultora executiva na área do Entretenimento, reiterando o integral cumprimento dos contratos celebrados entre as partes", assegura.

"A SIC rejeita e manifesta a sua surpresa face às alegações de aproveitamento, seja por que meio for, da intimidade da vida privada de Cristina Ferreira, alegações que não deixam de ser contraditórias, considerando que a mesma era a principal responsável por "O Programa da Cristina", agindo, no exercício dessas funções, com extrema liberdade, pelo que lhe é objetiva e exclusivamente imputável a partilha de quaisquer informações do foro íntimo ou privado", refere.

Ana Marcela é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG