Constâncio: Serviços do BdP concluíram que Berardo tinha solidez financeira

O antigo governador do Banco de Portugal considera que as notícias sobre a sua intervenção no crédito da CGD à Fundação Berardo são “calúnias”.

Vítor Constâncio regressou esta terça-feira à comissão de inquérito à gestão na CGD. Depois de notícias do Público a indicar que o antigo governador do Banco de Portugal teve conhecimento e podia ter travado o empréstimo de 350 milhões do banco público à Fundação Berardo para a compra de ações do BCP, Constâncio acusou essas informações de serem “calúnias”.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG