Como trocar as suas notas de escudo

Até 29 de dezembro ainda pode trocar algumas das notas de escudo por euros.

Quais são as notas que prescrevem em 2018?

Até 29 de dezembro poderá trocar a nota de dez mil escudos com a efígie de Egas Moniz (chapa 1), a de cinco mil com Antero de Quental (chapas 2 e 2A), a nota de dois mil escudos com a efígie de Bartolomeu Dias (chapa 2) e ainda a nota de mil escudos com a efígie de Teófilo Braga (chapa 12). Até 30 de abril de 2018 ainda poderá trocar a nota de 500 com a efígie de Mouzinho da Silveira (chapa 12).

Onde se trocam as notas que prescrevem?

As notas de escudo podem ser trocadas por euros nas tesourarias do Banco de Portugal em Lisboa, Porto, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Viseu, Ponta Delgada e Funchal. Caso não possa deslocar-se, pode enviar as notas por correio registado, com valor declarado, para as instalações do banco no Carregado.

Como faço para enviar as notas por correio?

Há dois requisitos. As notas devem ser acondicionadas num envelope fechado com a indicação "contém numerário" e a discriminação do valor. Esse envelope deverá ser colocado dentro de outro envelope postal. Terá de fornecer a identificação e os dados necessários para a realização de transferência bancária.

As notas danificadas podem ser trocadas?

Sim. Segundo o Banco de Portugal, uma nota danificada pode ser trocada "quando inteira ou constituída por fragmentos de cuja justaposição resulte exata, inequívoca e integralmente a mesma nota" ou, "quando incompleta, apresente um fragmento com pelo menos 75% de área total e integre a metade direita ou a metade esquerda".

Quanto vou receber em troca?

O câmbio de escudos para euros mantém-se o mesmo que foi definido durante o período de transação das duas moedas. Um euro equivale a 200,482 escudos. O que significa que, se tiver dez mil escudos para trocar, irá receber 49,88 euros.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.