Centeno: "Orçamento prossegue caminho do rigor e equilíbrio das contas públicas"

Mário Centeno entregou na noite desta segunda-feira a proposta de Orçamento do Estado para 2019 no Parlamento

O Ministro das Finanças garante que o Orçamento do Estado para 2019 "prossegue o caminho do rigor e do equilíbrio das contas públicas".

As declarações de Mário Centeno foram proferidas na noite desta segunda-feira, na Assembleia da República, minutos após o ministro ter entregado a proposta de Orçamento a Ferro Rodrigues.

Consulte aqui a proposta do Orçamento e todos os seus anexos

"Apresentamos um défice de 0,2% para 2019 que permite sustentar a descida da dívida pública, tal como tem acontecido nos últimos dois anos. Este orçamento aposta em áreas muito importantes como os transportes, a habitação, a cultura e a ciência, para além de permitir a continuação das políticas que hoje levam o desemprego para a taxa mais baixa dos últimos 14 anos, 6,3%", destacou o ministro.

O Orçamento foi entregue ao presidente da Assembleia da República a escassos minutos do fim do prazo estipulado por Bruxelas. Mas Mário Centeno assegurou, questionado pelos jornalistas, que "não houve negociações de última hora que tivessem atrasado" a entrega do documento.

"A entrega é a finalização da preparação de documentos que compõem o Orçamento do Estado. São centenas de páginas, é um processo exigente feito com grande minucia pelos funcionários do ministério das Finanças e nós fazemo-lo sempre com grande rigor. O conteúdo do orçamento é o mais importante. O trabalho que o Conselho de Ministros fez no sábado foi o momento final do Orçamento", sublinhou.

Apesar da insistência, Mário Centeno não revelou detalhes sobre as medidas que constam no documento, remetendo explicações para a conferência de imprensa que o Ministério das Finanças agendou para amanhã, terça-feira, às 8h30.

Destacou apenas que "a Administração Pública é das questões mais relevantes para este governo" e que "a questão salarial é muito importante", sublinhando que o Orçamento tem "uma longa lista de medidas para implementar ao longo da legislatura".

Jornalistas do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG