Carlos Silva: "Governo não pode transformar 90 cêntimos num aumento"

O secretário-geral da UGT alerta que os salários dos funcionários públicos não podem continuar congelados em 2019, e admite todos os cenários de luta

A UGT surpreendeu tudo e todos ao avançar no início de 2018 com o valor de salário mínimo que defende em 2019: 615 euros. Carlos Silva explica porque é que colocou já o tema em cima da mesa, e defende benefícios para as empresas que contratam sem termo e penalizações para as que abusam dos contratos a prazo.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Exclusivos