CaixaBank faz avaliação positiva de decisão que permite manter OPA

O presidente executivo do banco espanhol diz que a decisão "permite ao CaixaBank continuar com a sua oferta, que significa um forte compromisso de investimento com Portugal"

O presidente executivo do CaixaBank faz uma avaliação "positiva" da decisão tomada esta quarta-feira pelos acionistas do BPI de eliminar a limitação dos direitos de voto, que permite ao banco espanhol "continuar" com a Oferta Pública de Aquisição (OPA).

O "CaixaBank avalia positivamente a decisão dos acionistas do BPI de eliminar as restrições aos direitos de voto, visto que dará estabilidade à entidade [BPI], ao permitir aplicar o princípio de uma ação um voto, em linha com as melhores práticas de governação corporativa", disse Gonzalo Gortázar à Lusa, depois da assembleia-geral do BPI, que decorreu no Porto.

Os acionistas do BPI aprovaram esta quarta-feira a proposta de desblindagem dos estatutos do banco, pondo fim à limitação dos direitos de voto e abrindo caminho ao sucesso da OPA lançada em abril último pelo maior acionista, o espanhol CaixaBank.

Para o presidente executivo do banco espanhol com sede em Barcelona, a decisão "permite ao CaixaBank continuar com a sua oferta, que significa um forte compromisso de investimento com Portugal", onde esta instituição está presente há mais de 20 anos.

"Esta decisão da assembleia-geral permitirá continuar com uma operação que estamos convencidos de que é o melhor para o futuro da entidade e de todos os seus acionistas", afirmou Gonzalo Gortázar, assegurando que o CaixaBank está "disposto a assumir o controlo do BPI para ajudar a entidade a enfrentar com garantias os futuros desafios do setor financeiro português e as exigências regulatórias".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG