Brexit: easyJet adverte que incerteza política no Reino Unido afeta procura aérea

A easyJet espera umas perdas brutas na primeira metade do ano de 275 milhões de libras (319 milhões de euros).

A companhia aérea 'low cost' britânica, easyJet advertiu, esta segunda-feira, que a incerteza do 'Brexit' está a afetar a procura de passagens a curto prazo e avisou que pode ter perdas semestrais devido a um aumento dos custos.

Num comunicado enviado à Bolsa de Valores de Londres, a companhia sublinha que as vendas de passagens para os próximos seis meses, que incluem a temporada de verão no hemisfério norte, é fraca, obrigando a empresa a alertar para a desaceleração das vendas.

A easyJet espera umas perdas brutas na primeira metade do ano de 275 milhões de libras (319 milhões de euros).

"Estamos a ver [uma situação] fraca no Reino Unido e na Europa, que acreditamos que resulta da incerteza macroeconómica e de muitas perguntas sem respostas sobre o 'Brexit', que juntos estão a provocar uma maior fraqueza da procura dos clientes", sublinhou o Chief Executive Officer (CEO) da empresa, Johan Lundgren.

O CEO da esayJet sublinhou, contudo, que a companhia aérea está bem preparada desde o ponto de vista operacional para o 'Brexit' e que, passe o que passar, continuará a voar como sempre.

A companhia constituiu a easyJet Europe, com sede em Viena, que lhe permitirá continuar a operar voos em toda a União Europeia (UE) e a nível interno dentro dos países comunitários haja ou não acordo de saída do Reino Unido do bloco comunitário.

A Câmara dos Comuns realiza hoje um dia de votações indicativas para estabelecer opções alternativas do 'Brexit', depois do acordo da primeira-ministra britânica, Theresa May, ter sido chumbado três vezes.

O Reino Unido, que tinha previsto sair da UE em 29 de março passado, conseguiu um adiamento até 12 de abril próximo, para quando o Governo poderá pedir uma extensão maior, a fim de negociar possivelmente outro acordo, ou sair do bloco sem qualquer acordo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG