BPI. OPA do Caixabank pode não resolver problema de Angola

Assembleia-geral voltou a ser suspensa e será retomada a 21 de setembro para esperar pela decisão do tribunal e manter prazos da OPA.

A Oferta Pública de Aquisição (OPA) do Caixabank, que tem 45% do BPI, sobre o capital do banco que ainda não detém, pode não resolver o problema de exposição excessiva a Angola. Para cumprir as regras do Banco Central Europeu (BCE), o banco português tem de reduzir o peso de Angola, onde é acionista maioritário do BFA.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG