Boom nas empresas de transporte de passageiros: três mil desde janeiro

O setor do transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros gerou mais de três mil empresas nos primeiros nove meses de 2019, representando um crescimento de 120% face ao período homologo, foi divulgado.

De acordo com um barómetro da consultora Informa ao setor dos Transporte de Passageiros em Viaturas Ligeiras Descaracterizados (TVDE) nasceram, até 30 de setembro, 3.209 empresas, o que representa um crescimento de 120% face a igual período do ano passado.

Esta subida, refere o barómetro, coincide com a promulgação da Lei 45/2018 que regula a atividade de transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataformas eletrónicas.

O distrito de Lisboa regista o crescimento mais significativo destas novas empresas, embora o mesmo se tenha vindo a alargar a outros distritos como o Porto, Setúbal e Faro.

Em 2018, ano em que foi alcançado o valor máximo na constituição de novas empresas em Portugal, de acordo com a consultora, os maiores crescimentos tinham-se verificado nos setores do alojamento e restauração e nas atividades imobiliárias.

Até final do terceiro trimestre deste ano, estes dois setores viram nascer menos novas empresas que no período homólogo, com reduções de -4,9% nas Atividades imobiliárias e de -0,2% no Alojamento e restauração.

A descida neste setor deve-se sobretudo à queda no subsetor do 'alojamento de curta duração', já que a restauração e restante hotelaria regista uma subida em novas empresas, ainda que ligeira.

De acordo com a consultora, esta dinâmica empreendedora tem contribuído para um "tecido empresarial pulverizado", com uma "enorme quantidade de empresas muito pequenas", com as sociedades unipessoais a representarem nos nove primeiros meses do ano 2019 mais de metade das novas empresas.

Em Portugal operam atualmente quatro destas plataformas internacionais, que ligam motoristas de veículos descaracterizados e utilizadores, através de uma aplicação 'online' descarregada para o telemóvel - as estrangeiras Uber, Cabify, Bolt e Kapten.

Segundo a lei 45/2018, o início da atividade de operador de TVDE está sujeito a licenciamento do Instituto da Mobilidade e dos Transportes, licença essa que será válida por 10 anos.

Para ser parceiro e poder ter automóveis ao serviço das plataformas, é obrigatório constituir uma empresa, pois a lei só permite a atividade a "pessoas coletivas".

Exclusivos