Alphabet, a dona da Google, é a quarta empresa no clube do "trillion dollars"

Dona do motor de busca ultrapassou a histórica fasquia em valor de mercado, que foi pela primeira vez atingida pela Apple em 2018. Microsoft e Amazon completam um clube onde só cabem tecnológicas

A Alphabet, o consórcio de empresas dono da Google, atingiu a avaliação de um bilião de dólares pela primeira vez. Dona do motor de busca transforma-se na quarta empresa americana a atingir o patamar do trillion dolars.

Pela primeira vez, a Alphabet atingiu o valor de mercado de um bilião de dólares (um trilião, de acordo com o sistema norte-americano). Fazendo a conversão para euros, trata-se de um valor que ronda os 899,2 mil milhões de euros.

A Alphabet cruzou a barreira do bilião já na noite desta quinta-feira, com as ações a atingirem um valor recorde de 1450,16 dólares (cerca de 1309 euros).

O patamar do bilião é um valor de mercado considerável para a Alphabet, desde a entrada na bolsa, em 2004. Nessa altura, a empresa chegou a um valor de 23 mil milhões de dólares.

Com este valor de mercado de um bilião de dólares, a Alphabet torna-se na quarta empresa tecnológica a conseguir chegar a este patamar. A primeira foi a Apple, em 2018. Poucos meses depois, era tempo de a Amazon juntar-se ao clube. Já em abril de 2019, a Microsoft atingiu o patamar do bilião.

Do grupo das big tech, que conta com Amazon, Apple, Facebook e Alphabet, só o Facebook é que está longe de fazer parte deste clube do bilião: atualmente, tem um valor de mercado que ronda os 632 mil milhões de dólares.

Neste momento, a Alphabet é a terceira empresa americana mais valiosa. A Apple domina a lista, com 1,4 biliões de dólares, seguida pela Microsoft, com 1,27 biliões de dólares e a Amazon, com 931 mil milhões.

A evolução da Alphabet

O nome Alphabet só surgiu em 2015, depois de uma reorganização da empresa. Nessa nova estrutura, a Alphabet passou a servir de empresa-chapéu às várias marcas do grupo, desde o motor de pesquisa que deu origem a tudo até uma panóplia de serviços e produtos.

Desde 2004, quando se tornou uma empresa cotada na bolsa de Wall Street, muita coisa mudou na gigante de Silicon Valley. Serviços como o Gmail consolidaram-se (tem uma quota de mercado de 20% na área de email), sem esquecer a introdução de um novo portefólio mobile, com o lançamento dos telefones Pixel, ou a chegada ao mundo das casas inteligentes, com o Google Home. Já este ano, a Google revelou que já tem 500 milhões de utilizadores do serviço Google Assistant.

No ano passado, a Alphabet voltou a ser reorganizada, mas especificamente a nível de cargos. Sundar Pichai, até então CEO da Google, passou a concentrar todos os poderes da Alphabet, com o afastamento dos criadores Larry Page e Sergey Brin.

jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG