Acionista disponível para considerar aumento de capital da Groundforce

Em carta enviada à TAP, a Pasogal diz que esta é a única forma de garantir a manutenção dos seus 2400 postos de trabalho.

A Pasogal, acionista maioritário da Groundforce, disse esta terça-feira estar disponível para "considerar a realização de um aumento do capital social da SPdH, reservado a acionistas", na sequência da proposta feita pela TAP no domingo.

Numa carta enviada à TAP, a que a Lusa teve acesso, a Pasogal, de Alfredo Casimiro, diz estar disponível "para considerar a realização de um aumento do capital social da SPdH, reservado a acionistas, na modalidade de aumento de capital por novas entradas em dinheiro, com emissão de novas ações, a subscrever a um valor por ação baseado na avaliação da SPdH [Groundforce] já feita em 2018 pela Sycomore Corporate Finance".

No documento, o acionista que detém 50,1% da empresa de handling (assistência em aeroportos) diz que "esse aumento de capital, a deliberar oportunamente em Assembleia Geral da SPdH", terá "como pressuposto a reunião das condições necessárias à preservação e continuidade da empresa", acrescentando que "só dessa forma" se poderá garantir a manutenção dos seus 2400 postos de trabalho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG