Villas-Boas admite que esteve perto de rumar ao Sporting antes de ir para o FC Porto

Em entrevista ao Porto Canal o ex-treinador do FC Porto reviveu os momentos de glória de dragão ao peito.

André Villas-Boas admitiu esta sexta-feira, em entrevista ao Porto Canal, que esteve perto de rumar ao Sporting na época 2009-10, após a saída de Paulo Bento de Alvalade. Contudo, o negócio não avançou... "Estivemos perto de chegar a acordo mas eu tento fazer com os meus adjuntos o que o Mourinho fez connosco em alguns tempos da sua carreira. Não senti que estavam a protegê-los e disse que não. Depois renovo com a Académica, há insistência do Sporting em fevereiro e há contactos. Porém, vou jogar a Guimarães pela Académica e no caminho passámos em frente a este estádio [do Dragão] e disse que era aqui que queria estar", contou o treinador.

Pouco depois de dizer não aos leões apareceu a possibilidade de chegar à "cadeira de sonho" no FC Porto. Tudo começou no FC Porto-Académica, da Taça da Liga, 2008-09: "O Nélson Puga [médico] vem ter comigo ao balneário e diz que o Antero Henrique queria falar comigo. Foi o que originou o processo..."

Villas Boas não poupou nos elogios ao líder dos azuis e brancos: "Pinto da Costa habituou-nos a ganhar e a fomentar os nossos níveis de exigência. A exigência de vitória." Um homem que desenhou vários objetivos a nível pessoal: "Ser campeão sem derrotas, fazer o maior número golos, ultrapassar o número de títulos do Benfica."

E só não conseguiu um deles: "Fiquei furioso com o Pizzi. Custou-me não ultrapassar os 86 pontos do Mourinho. E aquele empate no Dragão frente ao Paços de Ferreira deitou tudo por água abaixo [hat-trick de Pizzi, na 29.ª e penúltima jornada da temporada 2010/2011]."

Na história do FC Porto

Perto de festejar os 125 anos de história, o FC Porto chamou os protagonistas da história do clube para lembrar os momentos mais marcantes da passagem pelo dragão. André Villas-Boas foi um deles.Tinha 33 anos quando conduziu o FC Porto à conquista da Liga Europa, depois de vencer o Sp. Braga, por 1-0, em Dublin e relembrou aquela noite de 18 de maio de 2011, em que levantou o troféu da Liga Europa. "O meu adjunto José Mário tem o muito mau hábito de se agarrar a mim quando eu quero explodir. Então saltei e queria correr para os jogadores e senti alguém a prender-me. Há um conjunto de fotografias em que nós estamos os dois no ar a saltar e ele depois abraça-me e prende-me e eu depois zango-me com ele. 'Sai daqui, pá, quero correr'. Foi uma explosão enorme de alegria. Foi o culminar, o juntar de algo europeu a este percurso, foi muito importante", contou André Villas-Boas.

No Dragão, além da Liga Europa, o técnico português foi campeão nacional, venceu a Taça de Portugal e a Supertaça. Depois mudou-se para o Chelsea. Desde então passou ainda pelo Tottenham, pelo Zenit e pelo Shanghai SIPG. Agora André Villas-Boas está sem clube.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG