Vieira soma mais um título e encurta distâncias para Pinto da Costa

Eleito pela primeira vez a 31 de outubro de 2003 com 91,74% dos votos, o 33.º presidente do Benfica levou a equipa de futebol à conquista de 21 troféus. Mas no mesmo período, Pinto da Costa tem 24.

A luta pelo poder do futebol português nunca esteve tão ao rubro como desde 2003, ano em que Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa começam a coincidir na presidência de Benfica e FC Porto, respetivamente. O título nacional agora conquistado é o 21.º da presidência de Vieira no futebol e permitiu ao líder do clube da Luz encurtar distâncias para o dirigente portista, que já conquistou 24 desde então.

No total de troféus está 24-21 a favor de Jorge Nuno Pinto da Costa. Em termos de conquistas mundiais e europeias, o líder do FC Porto está em clara vantagem (3-0) e a nível de campeonatos nacionais também vence (9-7). Em Taças de Portugal, o dragão soma mais uma do que o rival (4-3) e pode aumentar este número caso vença a final do dia 25 de maio diante do Sporting. O FC Porto ganha também no número de Supertaças (8-4). No entanto, o presidente encarnado goleia em Taças da Liga (7-0).

Nestes 15 anos de rivalidade entre atuais inimigos que chegaram a ser amigos, em número de troféus a balança pesa a favor do líder portista, com destaque para as três conquistas internacionais (Liga dos Campeões 2004, Taça Intercontinental em 2004 e Liga Europa 2011), e expõe a fragilidade europeia do projeto de Vieira, que perde também nos duelos diretos em campo: 18 vitórias do FC Porto contra 13 do Benfica e ainda 12 empates registados em 43 clássicos entre ambas as equipas desde que ambos coincidem na presidência dos dois clubes.

Luís Filipe e Jorge Nuno já foram amigos, quando Vieira liderava o Alverca e tinha o líder portista como aliado e dirigente modelo, com o qual chegou até a "festejar derrotas do Benfica" enquanto sócio 28.788 dos dragões, palavra de Pinto da Costa, que o contou na sua biografia. Depois, Vieira entrou no Benfica como braço direito de Manuel Vilarinho, em 2001, e subiu à presidência a 31 de outubro 2003. Chamou José Veiga (que estava desavindo com o líder portista) para liderar o futebol e a amizade com Pinto da Costa foi-se esfumando. Só nas últimas duas épocas, os dois clubes trocaram dezenas de galhardetes e várias acusações, com o caso dos e-mails e o e-toupeira a dominarem a atualidade recente.

Na última década o líder das águias galgou terreno e equilibrou as contas no duelo particular com Pinto da Costa, que até então estava bem desequilibrado a favor do histórico líder portista. Desde 2013, os encarnados ganharam 13 troféus no futebol nacional (entre eles cinco títulos de campeão).

No total, o 33.º presidente da história do Benfica, eleito pela primeira vez com 91,74% dos votos a 31 de outubro de 2003, levou a equipa de futebol à conquista de 21 troféus e vai ficar para sempre conhecido como o pai do tetra (quatro campeonatos seguidos).

Exclusivos