Vieira anuncia "recandidatura ao último mandato" como presidente do Benfica

O presidente do Benfica apresentou a sua candidatura às eleições do clube da Luz. Entre recados aos opositores, anuncia a criação de um conselho estratégico e a aposta na vertente desportiva.

Luís Filipe Vieira anunciou esta quarta-feira a sua recandidatura à presidência do Benfica, cargo que ocupa deste 2003. Numa declaração emocionada, o líder dos encarnados garantiu que se candidata ao seu "último mandato" à frente dos destinos do clube​​​.

"Sempre trabalhei para unir os benfiquistas porque só assim podemos crescer e ter futuro. Esta candidatura tem uma história e tem futuro e é por isso que aqui estou", começou por dizer, garantindo que o principal foco do novo mandato, se for eleito, será "a vertente desportivas", assumindo o desafio de "superar o que foi feito na última década, que foi muito bom".

Vieira lembrou que, na última década, o Benfica "reforçou o prestígio internacional, a credibilidade e teve resultados financeiros positivos em sete épocas". E nesse contexto destacou que, "pela primeira vez há vários candidatos, o que deve ser saudado e reforça as garantias para o futuro do clube". Contudo, apelou a que a campanha "siga um caminho construtivo e com propostas".

"As criticas fazem parte do percurso e quando são serias devem ser ouvidas. Afinal, quem está a frente de um clube como o Benfica também erra. Errei porque sou humano e só erra quem toma decisões", frisou em jeito de aviso aos outros candidatos, aos quais voltou a dirigir-se: "Estou aqui para acolher as boas ideias, venham elas de onde vierem. Reconheço que há propostas que são boas, mas já foram implementadas. E há propostas novas, que não são boas."

Os recados continuaram, com Luís Filipe Vieira a sublinhar que "não pode ser menorizado tudo o que foi feito, porque aqueles que criticam, raramente conseguem construir". "Criticam tudo, mas isso não pode ser porque não atingem só o presidente, mas o Benfica enquanto instituição. E é por isso que não admito", sublinhou.

Vieira anunciou que "o Benfica é o clube português mais saudável financeiramente" e avisou que "os próximos anos serão difíceis e exigentes". Nesta área, respondeu às críticas que têm sido feitas às contas, frisando que "as contas são auditadas anualmente e os com relatórios públicos". E, nesse sentido, lançou um desafio: "Estou disponível para acolher no Conselho Fiscal, um elemento de cada uma das listas da oposição para perceberem o rigor das nossas contas. As portas estão abertas."

Luís Filipe Vieira refutou ainda as críticas que tem sido alvo relacionadas com o facto de, alegadamente, ter tornado o Benfica num negócio e lançou uma questão: "O Benfica não pode ser um negócio? Se assim for não haverá sucesso desportivo, nem formação, nem medalhas olímpicas. O Benfica são os seus sócios, mas é também negócio, quem diz o contrário está a ser oportunista."O presidente dos encarnados recordou que quando chegou ao clube "o Benfica era dos credores" e que foi com ele que foi "devolvido aos sócios".

Uma questão levantada pelos outros candidatos às eleições do Benfica tem a ver com a fiabilidade do sistema de voto do clube. Vieira garante tratar-se de um sistema de voto "mais evoluído" que existe, mas ainda assim deixou uma promessa "para que o ruído termine de vez". "Vai haver voto eletrónico e em papel para não continuarem a criticar. Além disso, vai ser possível votar em todas as capitais de distrito", assegurou.

Entre as promessas que fez para o seu último mandato, Vieira anunciou a criação de "um conselho estratégico para ajudar a pensar em novos desafios para o futuro do Benfica", um organismo que "será constituído por verdadeiros benfiquistas".

Vieira lançou ainda um apelo para o pós-eleições: "Quem ganhar será o presidente de todos os benfiquistas, sem divisões, porque o nosso futuro depende disso." E, visivelmente emocionado, concluiu: "Cumpri a promessa que fiz ao meu pai de recuperar a mística e credibilidade do Benfica."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG