Union Berlim vende cervejas e salsichas virtuais para adeptos ajudarem o clube

O clube alemão abriu uma loja virtual para que adeptos possam fazer face à ausência de receitas de bilheteira devido à pandemia de coronavírus.

O Union Berlim encontrou uma forma criativa de angariar dinheiro durante a suspensão da Bundesliga devido à pandemia do covid-19. Segundo o jornal online DW News, no início desta crise de saúde pública os adeptos começaram a questionar a direção do clube sobre a forma como poderiam ajudar, numa altura em que o estádio tem de ficar vazio.

E foi assim que surgiu a ideia de abrir um restaurante virtual no site oficial do clube, no qual os adeptos podem fazer doações simulando a compra de cervejas e salsichas, como é hábito fazerem no estádio em dias de jogos, pagando no mínimo 2,5 euros por cada um dos artigos escolhidos.

É raro haver estas iniciativas solidárias por parte dos adeptos. O único caso conhecido foi na liga búlgara em que o Levski Sófia, conseguiu vender 10 mil bilhetes virtuais para o encontro com o Ludogorets.

"Assim que o futebol parou, fomos contactados por um grande número de fãs que queriam saber como nos poderiam ajudar. Entre as muitas ideias que nos chegaram, estava a sugestão de que as pessoas doassem o dinheiro de outra forma, em salsichas e cervejas virtuais, para que o clube pudesse beneficiar. Então dissemos: 'ótimo, vamos abrir uma carrinha de comida virtual e oferecer tudo o que normalmente está disponível no estádio'", explicou ao DW o diretor de comunicação do Union Berlim, Christian Arbeit.

"Não esperávamos estar numa situação como esta na nossa primeira temporada na Bundesliga. É um momento difícil para todos os clubes de futebol, mas este tipo de iniciativas torna tudo um pouco melhor e reforça nosso sentimento de união", acrescentou o dirigente.

Jogadores com cortes nos salários

Onze dias após a abertura da carrinha virtual de venda de cerveja e salsichas, os jogadores do Union Berlim seguiram o exemplo de várias outras equipas da Bundesliga e concordaram em cortar parte dos seus salários. "Foi um bom sinal de solidariedade, pois até os jogadores e os treinadores concordaram em reduzir os custos para o clube. Esse é o espírito do Union: estarmos juntos neste barco e juntos tentaremos superar a tempestade", frisou.

A verdade é que todos os clubes alemães estão a ser privados de receitas pela suspensão do campeonato, mas o Union Berlim por ter chegado esta época ao escalão principal, é menos estável do que os outros clubes. No entanto, a solidariedade tem sido transversal na Bundesliga e até pelas equipas concorrentes e, na passada quinta-feira, Bayern Munique, Borussia Dortmund, RB Leipzig e Bayer Leverkusen, as quatro equipas que participaram na Liga dos Campeões, anunciaram uma ajuda de 20 milhões de euros aos outros clubes nas duas principais divisões.

"Quem faz parte da liga está a tentar ajudar, pois ninguém consegue sobreviver sozinho. Ajudar a encher o pote e, no fim, esperamos que haja o suficiente para que todos sobrevivamos", afirmou Christian Arbeit.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG