Tour não quer Froome na linha de partida

No próximo semana Christopher Froome vai estar na linha de partida da edição 105 da Volta a França? No que depender da organização não

O quádruplo vencedor da maior prova velocipédica mundial não deverá estar presente na Volta a França deste ano pois a organização não quer que Christopher Froome faça parte do lote de ciclistas da Sky , segundo noticia este domingo o Le Monde. O diário francês escreve que a equipa já contestou esta decisão. E que nem a Sky nem a organização responderam às questões que lhes foram enviadas pelo diário.

Os responsáveis pelo Tour, a Amaury Sport Organisation, justificam esta posição com a necessidade de proteger a imagem da competição e do atleta, que está sob suspeita depois de um controlo antidoping positivo em setembro de 2017, na 18.ª etapa da Volta a França. Na altura foi detetada nas análises do atleta a substância salbutamol - utilizada, por exemplo, para tratamento da asma. Apesar de não ter sido suspenso, Froome inclusive participou na edição deste ano da Volta a Itália e venceu a prova, as suspeitas de utilização de uma substância proibida tem sido o suficiente para que a ASO diga que não quer a presença do britânico na competição que decorre de 7 a 29 de julho.

A organização apoia-se no artigo 28 do regulamento do Tour que refere: "reserva-se [à organização] a faculdade de recusar a participação - ou exclusão - na prova, a uma equipa ou um dos seus elementos se for considerado que a sua presença pode prejudicar a sua imagem ou a reputação da ASO ou da prova."

Froome pode apelar ao Tribunal Arbitral do Desporto, mas a possibilidade de existir uma decisão antes do início da Volta à França é pouca.

Exclusivos