Tour: Alaphilippe volta a vencer, em dia marcado por protesto

O ciclista francês da QuickStep-Floors somou nesta terça-feira o segundo triunfo na Volta à França, numa 16.ª etapa marcada por um protesto de agricultores e sem problemas para o líder, Geraint Thomas (Sky).

Com apenas 29 dos 218 quilómetros entre Carcassone e Bagnères-de-Luchon percorridos, a corrida foi neutralizada durante 15 minutos, devido a um protesto de agricultores, que atiraram fardos de palha para a estrada.

Na tentativa de acabar com o protesto, a polícia recorreu a gás lacrimogéneo, que, contudo, acabou por afetar vários ciclistas, obrigando à interrupção da corrida.

Já com a etapa de novo em andamento, criou-se uma fuga gigante, que chegou a ter mais de 40 elementos, dos quais entraram 17 na quinta e última subida do dia, uma contagem de primeira categoria, a cerca de dez quilómetros da meta.

Alaphilippe, que tinha sido o primeiro a passar no alto do Portillon, foi ultrapassado na descida por Adam Yates (Mitchelton-Scott), mas o britânico acabou por cair e oferecer o triunfo ao gaulês, que lidera o prémio de montanha.

"É uma enorme alegria, não há palavras, é apenas felicidade. Foi um dia de grande sofrimento, a fuga levou muito tempo para sair. Senti que as minhas pernas não estavam a cem por cento, mas estou muito feliz", referiu.

Alaphilippe lamentou a queda de Yates, mas disse que podia ter também acontecido consigo, porque arriscou muito na descida final.

O francês gastou 5:13.22 horas para somar o seu segundo triunfo no Tour de 2018, menos 15 segundos do que um trio de perseguidores, o espanhol Gorka Izaguirre (Barhain-Merida), Adam Yates e o holandês Bauke Mollema (Trek-Segafredo).

O primeiro dia após o descanso de segunda-feira acabou por ser muito parecido, para os homens da frente, aos dois últimos antes da segunda paragem, com a Sky, dos dois primeiros classificados, a permitir que uma fuga vingasse.

Assim, um pequeno pelotão, que incluía os dez primeiros da geral, cortou a meta a 8.52 minutos de Alaphilippe, com Geraint Thomas a manter a liderança, com um avanço de 1.39 sobre o britânico Chris Froome (Sky) e 1.50 face ao holandês Tom Dumoulin (Sunweb).

A etapa de quarta-feira será a mais curta em linha da Volta à França de 2018, mas promete ser muito dura, com os 65 quilómetros, entre Bagnères-de-Luchon e Saint-Lary-Soulan, a terem duas contagens de montanha de primeira categoria e uma de categoria especial, coincidente com a meta.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG