Titus Ekiru e Peres Jepchirchir vencem meia maratona de Lisboa com recordes

Entre os portugueses, Hermano Ferreira, do AR Casaense, e Catarina Ribeiro, do Sporting, foram os melhores, em 13.º e 7.º respetivamente.

O queniano Titus Ekiru venceu hoje a prova masculina da 20.ª edição da meia maratona de Lisboa, com o tempo de 1:00.12 horas, estabelecendo um novo recorde da prova, que pertencia ao marroquino Mustapha El Aziz desde o ano passado, com o tempo de 1:00.13 horas.

Nos 21 quilómetros entre o Parque das Nações e a Praça do Comércio, o queniano bateu o ugandês Timothy Toroitich, que foi segundo classificado com o tempo de 1:00.53, e Thomas Ayeko, também do Uganda, que terminou em 1:00.56 horas.

Entre os portugueses, Hermano Ferreira, do AR Casaense, foi 13.º classificado com o tempo de 1:05.56 horas.

"Foi muito bom voltar a esta prova, a este percurso. Foi uma prova dura, em que tivemos o vento pela frente, algum calor e tive de fazer 20 quilómetros sozinhos depois de ter ficado para trás do grupo dos atletas africanos. Ainda assim, estou satisfeito pela marca conseguida e dá-me força para os objetivos que aí vem", disse o atleta do Casaense, que acabou os 21 quilómetros em 1:05.56.

Prova feminina

Na prova feminina houve também um novo recorde, estabelecido por Peres Jepchirchir, queniana que completou os 21 quilómetros em 1:06.54 horas, superando a marca de 1:07.18 fixada pela etíope Yebgrual Melese Arage em 2018.

O pódio feminino da prova lisboeta foi totalmente queniano: em segundo lugar ficou Vivian Kiplagat, com um registo de 1:06.55, e em terceiro Dorcas Kimeli, que correu em 1:07.54.

Entre as atletas portuguesas, a melhor foi Catarina Ribeiro, do Sporting, que cortou a meta da Praça do Comércio em sétimo lugar, com um 'crono' de 1:11.36.

"Foi a primeira vez que participei nesta prova e fico contente pela marca alcançada, sobretudo pela altura da época em que estamos", disse a atleta do Sporting.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG