Sunderland e Terranova são os novos líderes. Paulo Gonçalves o melhor português

O britânico assumiu o comando nas motas, enquanto Paulo Gonçalves ocupa o 12.º lugar. O argentino subiu ao primeiro lugar em automóveis.

O britânico Sam Sunderland, em motas, e o argentino Orlando Terranova, nos carros, são os novos líderes do Rali Dakar, após a segunda etapa do Rali Dakar de todo-o-terreno, os 393 quilómetros entre Al Wajh a Neom, na Arábia Saudita.

Nas motas, Ross Branch (KTM), natural do Botsuana, foi o vencedor da tirada, conseguindo o primeiro triunfo naquela que é a sua segunda participação na prova, enquanto, nos automóveis, triunfou o sul-africano Giniel de Villiers (Toyota).

O Ferrari de Kalahari, como é conhecido Branch, gastou 3.39,10 horas a percorrer a especial e bateu o novo líder da categoria, o britânico Sam Sunderland (KTM), por 1,24 minutos, e o chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna) por 2,21.

O melhor português é Paulo Gonçalves (Hero), na 12.ª posição, que se encontra a 9,32 minutos do vencedor do dia e ocupa a 14.ª posição da geral, a 13,10 no novo líder da geral. António Maio (Yamaha) ficou no 19.º lugar, a 19,30 minutos do vencedor, e ocupa idêntica posição na classificação, a 37,39 minutos do comandante. Quanto aos outros portugueses, Sebastian Bühler (Hero) terminou a etapa na 21.º posição, enquanto Mário Patrão (KTM) voltou a ser 41.º, estando ambos na geral em 25.º e 39.º lugares, respetivamente.

Joaquim Rodrigues Jr. (Hero), que no domingo foi forçado a desistir na primeira etapa fruto de uma avaria mecânica, regressou esta segunda-feira usando o joker que os pilotos têm à disposição e foi 44.º, apesar de já não poder aspirar a um resultado na geral, tendo partido da última posição, enquanto Fausto Mota foi 46.º.

Nos automóveis, o sul-africano Giniel de Villiers (Toyota) foi o mais rápido do dia, numa tirada em que alguns dos principais concorrentes perderam tempo com a navegação. O vencedor de 2009 gastou 3.37,20 horas, deixando o argentino Orlando Terranova (Mini) a 3,57 minutos e Khalid Al-Khassimi (Peugeot), natural de Abu Dhabi, em terceiro, a 5,42, depois de ter liderado grande parte da etapa.

O francês Stéphane Peterhansel (Mini), navegado pelo português Paulo Fiúza, perdeu 22,15 minutos, sobretudo no início da etapa, terminando em 12.º lugar. Ricardo Porém (Bogward) foi 17.º, a 28,16 minutos do vencedor.

Com estes resultados, Orlando Terranova é o novo comandante dos automóveis, com 4,43 minutos de vantagem sobre o espanhol Carlos Sainz (Mini) e 6,07 em relação ao qatari Nasser Al-Attiyah (Toyota). Peterhansel é agora oitavo, a 13,17 minutos do líder, e Ricardo Porém 17.º, a 56,22 minutos.

O espanhol Fernando Alonso (Toyota), duas vezes campeão mundial de Fórmula 1, partiu uma das rodas do seu Toyota e perdeu 2.34,38 horas, terminando em 63.º lugar.

Nos SSV, o chileno Lopez Contardo (Can Am) bateu o zimbabueano Conrad Rautembach (PH Sport), navegado pelo português Pedro Bianchi Prata, por 11.48 minutos. Na geral, Lopez Contardo lidera, enquanto Rautembach é sexto.

Esta terça-feira disputa-se a terceira etapa, em redor de Neom, com 504 quilómetros, 427 deles cronometrados.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG