Sub-19 estão na final do Europeu. Mais um capítulo de sucesso dos escalões jovens

Seleção portuguesa de sub-19 goleou a República da Irlanda com um hat-trick de Ramos e defende o título já neste sábado. Esta será a 25.ª final de sempre (entre Europeus e Mundiais) dos escalões jovens de Portugal e pode valer o 13.º troféu.

A seleção portuguesa de sub-19 venceu esta quarta-feira a República da Irlanda, por 4-0, e apurou-se para a final do Campeonato da Europa da categoria que se realiza na Arménia, onde sábado vai defrontar o vencedor do jogo entre a França e a Espanha, que só começa às 18.00.

Portugal colocou-se em vantagem aos 30 minutos, um golo de grande penalidade da autoria de Vítor Ferreira, a castigar uma falta na área de Hodge sobre João Mário. Em cima do intervalo, Gonçalo Ramos marcou o segundo num cabeceamento, após assistência de João Mário. O mesmo Ramos bisou aos 59', com um remate forte de longe, e fez o hat-trick já nos descontos.

No caminho até à final, ainda na fase de grupos, Portugal começou por vencer a Itália por 3-0, seguiu-se um empate a um golo com a Espanha e um triunfo por 4-0 sobre a anfitriã Arménia. Esta quarta-feira a vítima foi a Rep. Irlanda (4-0).

Refira-se que nesta convocatória feita pelo selecionador Filipe Ramos há muitas ausências importantes, a grande maioria de jogadores que não foram libertados por Benfica, FC Porto e Sporting, pois integram os respetivos plantéis nesta pré-temporada. São os casos de Úmaro Embaló, do Benfica, lesionado, assim como três jogadores que estão às ordens de Bruno Lage na pré-época benfiquista - Nuno Tavares, Pedro Álvaro e Tiago Dantas. Do FC Porto faltam Tomás Esteves, Romário Baró e Fábio Silva, e do Sporting os jovens Nuno Mendes, Eduardo Quaresma, Rafael Camacho e Joelson Fernandes.

Portugal, refira-se, é atualmente o detentor do título europeu neste escalão, conquistado há um ano, sob a orientação de Hélio Sousa, depois de ter batido na final a Itália no desempate por grandes penalidades. A taça erguida no ano passado foi a quarta neste escalão - o primeiro referente ao Torneio Internacional de Juniores e outros dois na categoria de sub-18. Desde que, em 2002, a prova passou a ser de sub-19, Portugal ganhou a edição do ano passado e perdeu as finais de 2003, 2014 e 2017. Ou seja, este sábado, a equipa orientada por Filipe Ramos pode conseguir o quinto triunfo neste escalão.

Este novo sucesso dos sub-19, com a consequente passagem à final, prova o sucesso de Portugal nos escalões jovens, já que no sábado teremos uma seleção jovem numa final pela 25.ª vez (sub-21 incluídos, em Europeus e Mundiais) na história.

Portugal tem sete finais de Campeonatos da Europa disputadas nos escalões de sub-16/17 e em seis ocasiões venceu o troféu - só falhou a edição de 1988. Nos Europeus de sub-18/19 são agora 13 presenças em finais - quatro edições ganhas e oito perdidas no jogo decisivo. Ou seja, em termos de Campeonatos da Europa estamos a falar de um total de 20 finais. A estas juntam-se as duas finais de Europeus perdidas no escalão de sub-21 (1994 e 2015), o único em que Portugal não conquistou títulos, e mais três finais de Mundiais de sub-20. Ou seja, 25 finais em escalões jovens, contando já com esta de sábado.

As finais de Portugal em escalões jovens

Europeu de sub-21 - Vice-campeão em 1994 e 2015.

Mundial de sub-20 - campeão em 1989 e 1991; vice-campeão em 2011.

Europeu sub-18/19 - campeão em 1961, 1994, 1999 e 2018; vice-campeão em 1971, 1988, 1990, 1992, 1997, 2003, 2014 e 2017.

Europeu sub-16/17 - campeão em 1989, 1995, 1996, 2000, 2003 e 2016; vice-campeão em 1988.

As primeiras imagens de títulos de Portugal alcançados nos escalões jovens remontam aos Mundiais de 1989 e 1991, quando a seleção nacional se sagrou campeã mundial. Primeiro em Riade, com uma vitória sobre a Nigéria por 2-0, com golos de Abel Silva e Jorge Couto numa seleção que era orientada por Carlos Queiroz. E dois anos depois em pleno Estádio da Luz, com um triunfo por 4-2 no desempate por grandes penalidades diante do Brasil, numa equipa onde jogavam Figo, Rui Costa, Peixe, João Vieira Pinto, Jorge Costa, entre outros.

Mas, antes disso, Portugal já tinha obtido um título nos escalões jovens, em 1961, no então denominado Torneio Júnior da UEFA, o equivalente a um Europeu de sub-18/19. Também no antigo Estádio da Luz, Portugal goleou a Polónia por 4-0, com um póquer de Serafim, numa seleção que era orientada por José Maria Pedroto e que tinha entre os jogadores o benfiquista António Simões. Portugal voltou a uma final dez anos depois, em 1971, em Praga, mas perdeu diante da Inglaterra.

Este sábado, e novamente pelos sub-19, Portugal pode voltar a fazer história. A 25.ª final de sempre em escalões jovens está assegurada, mas pode também valer o 13.º título de sempre de seleções jovens para o nosso país.

Eis os jogadores que integram a convocatória dos sub-19 que estão no Europeu.

Guarda-redes: Celton Biai (Benfica), Francisco Meixedo (FC Porto).

Defesas: Gonçalo Loureiro (Benfica), Tomás Tavares (Benfica), Tiago Lopes (FC Porto), Levi Faustino (FC Porto), Gonçalo Cardoso (Boavista) e João Costa (Rio Ave).

Médios: Daniel Silva (Vitória de Guimarães), Diogo Capitão (Benfica), Gonçalo Ramos (Benfica), Fábio Vieira (FC Porto), Vítor Ferreira (FC Porto), Samuel Costa (Sporting de Braga) e Rodrigo Fernandes (Sporting).

Avançados: Félix Correia (Manchester City), Tiago Rodrigues (Sporting), João Mário (FC Porto), Tiago Gouveia (Benfica) e António Gomes (Atalanta).

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Na hora dos lobos

Na ação governativa emergem os sinais de arrogância e de expedita interpretação instrumental das leis. Como se ainda vivêssemos no tempo da maioria absoluta de um primeiro-ministro, que o PS apoiou entusiasticamente, e que hoje - acusado do maior e mais danoso escândalo político do último século - tem como único álibi perante a justiça provar que nunca foi capaz de viver sem o esbulho contumaz do pecúlio da família e dos amigos. Seria de esperar que o PS, por mera prudência estratégica, moderasse a sua ação, observando estritamente o normativo legal.