Benfica com St. Liège e Rangers; Sp. Braga com o Leicester

Sorteio da Liga Europa dita grupos equilibrados para encarnados e bracarenses. Na cerimónia, que se realizou em Nyon, Romelu Lukaku venceu Bruno Fernandes na corrida pelo prémio de melhor jogador da Liga Europa da época passada.

Benfica e Sp. Braga já conhecem os adversários da fase de grupos da Liga Europa. Os encarnados vão medir forças com os escoceses do Rangers, os belgas do Standard Liège e os polacos do Lech Poznan, enquanto os bracarenses enfrentam os gregos do AEK Atenas, os ingleses do Leicester e os ucranianos do Zorya.

Do sorteio destaque ainda para os treinadores portugueses, pois o Tottenham de José Mourinho terá como adversários Antuérpia (Bélgica), LASK Linz (austríacos que eliminaram o Sporting) e os búlgaros do Ludogorets. A Roma e Paulo Fonseca terá pela frente CSKA Sófia (Bulgária), Young Boys (Suíça) e Cluj (Roménia). Finalmente, o PAOK Salonica de Abel Ferreira medirá forças com PSV Eindhoven (Holanda), Omonia Nicosia (Chipre) e Granada (Espanha).

Rangers é a maior ameaça do Benfica

O Benfica terá como principal obstáculo no grupo D os escoceses do Rangers, equipa treinada por Steven Gerrard que na época passada foi apurada no grupo do FC Porto. A equipa de Glasgow é atualmente líder da liga escocesa, com sete vitórias e dois empates em nove jogos.

O Rangers é um dos grandes clubes do seu país, que se encontra num processo de reconstrução, depois de uma queda na II Divisão por causa de problemas financeiros, para tentar voltar a conquistar o título que lhe foge desde 2010-11. Para chegar à fase de grupos, os protestantes deixaram pelo caminho o Lincoln Red Imps (5-0), Willem II (4-0) e o Galatsaray (2-1).

As principais figuras da equipa são o defesa James Tavernier, os médios Ianis Hagi e Ryan Jack e o goleador colombiano Alfredo Morelos, além do veterano Jermaine Defoe (37 anos) que desempenha ainda as funções de treinador adjunto.

O Standard LIège ocupa atualmente o quarto lugar da liga belga, tendo cedido dois empates e uma derrota nas sete jornadas já disputadas, tendo nesta caminhada para a fase de grupos deixado pelo caminho Bala Town (2-0), Vojvodina (2-1, após prolongamento) e Videoton (3-1).

Os belgas são treinados pelo francês Phillippe Montanier, destacando-se no plantel o ex-benfiquista Mehdi Carcela, mas também o avançado croata Duje Cop, que passou pelo Nacional. Em relação à época passada, o Standard perdeu o defesa-direito Vojvoda, que foi para o Torino por 5,5 milhões de euros, tendo o congolês Jackson Muleka a contratação mais cara (dois milhões de euros).

Finalmente, os polacos do Lech Poznan serão, à partida, o adversário mais acessível dos encarnados. A equipa é treinada por Dariusz Zuraw, que conta no seu plantel com o médio português Pedro Tiba (ex-Sp. Braga) e o avançado internacional sueco Mikael Ishak.

Ocupa atualmente o nono lugar da Liga polaca, tendo apenas vencido um jogo em quatro jornadas. Na caminhada para a fase de grupos deixou pelo caminho o Valmiera (3-0), Hammabry (3-0) e o Apollon Limassol (5-0).

Curiosamente, será a primeira vez que o Benfica vai defrontar estas três equipas nas provas europeias.

Sp. Braga tem contas a acertar com o Zorya

No que diz respeito ao Sporting de Braga, o Leicester apresenta-se como o adversário mais complicado, pois a equipa treinada por Brendan Rodgers ainda no último fim de semana goleou em casa do poderoso Manchester City, por 5-2, sendo por isso um dos líderes da Premier League com três vitórias em outros tantos jogos.

Do atual plantel dos campeões ingleses em 2015-16 destacam-se o guarda-redes Kasper Schemeichel, o defesa Ricardo Pereira (ex-FC Porto e V. Guimarães), os médios Youri Tielemans, Dennis Praet e James Maddison, enquanto no ataque está a grande estrela da equipa, o internacional inglês Jamie Vardy.

Para esta época, o Leicester investiu 62 milhões de euros em apenas dois jogadores: o defesa-central francês Wesley Fofana (Saint-Étienne) e o defesa direito belga Timothy Castagne (Atalanta).

Quem merece uma atenção especial é o AEK Atenas, que ainda esta quinta-feira surpreendeu ao eliminar no play-off os alemães do Wolfsburgo (2-1), isto depois de na pré-eliminatória ter vencido o Saint Gallen (1-0).

Os gregos, que contam por vitórias os quatro jogos oficiais que disputaram esta época, são orientados pelo italiano Massimo Carrera, que conta com quatro portugueses no seu plantel: os defesas Paulinho e Hélder Lopes, o médio André Simões e o avançado Nélson Oliveira. Há ainda a ter em conta o defesa-central ucraniano Chygrynski, que em tempos jogou no Barcelona, o médio internacional grego Petros Mantalos, enquanto na frente tem a estrela iraniana Karim Ansarifard e o croata Marko Livaja.

Refira-se que esta será a segunda vez que os bracarenses vão encontrar o AEK, depois de em 1966 terem medido forças na então Taça das Taças. Nessa altura, os portugueses levaram a melhor com vitórias de 1-0 na Grécia e de 3-2 em casa, que permitiu ao Sp. Braga apurar-se para segunda eliminatória.

Menos felizes são as recordações em relação aos ucranianos do Zorya. Isto porque há apenas dois anos esta equipa afastou os bracarenses na 3.ª pré-eliminatória da Liga Europa. O empate 1-1 fora de casa abriu boas perspetivas aos minhotos, então treinados por Abel Ferreira, mas na segunda mão registou-se novo empate, mas a três bolas, que favoreceu o Zorya.

Esta equipa ucraniana foi terceira classificada do seu campeonato na época passada, mas este ano não começou bem a época pois apenas venceu um dos quatro jogos que disputou, embora tenha empatado em casa com o Shakhtar de Luís Castro.

O Zorya é treinado por Viktor Skrypnyk e tem no seu plantel o habitual guarda-redes suplente da seleção ucraniana Mykyta Shevchenko.

Bruno Fernandes derrotado por Lukaku

Ainda antes do sorteio, a UEFA anunciou que o avançado belga Romelu Lukaku foi eleito o melhor jogador da última edição da Liga Europa, derrotando assim o português Bruno Fernandes, que disputou a prova ao serviço do Sporting e do Manchester United, e o argentino Ever Banega, que brilhou pelo Sevilha, o vencedor do troféu.

Ao serviço do Inter Milão, Lukaku foi o melhor marcador da Liga Europa com sete golos em seis jogos, tendo por isso sido decisivo na caminhada dos italianos até à final, que viriam a perder por 3-2 com o Sevilha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG