Soares Oliveira: "O Benfica será um dos dez melhores clubes europeus daqui a 15 anos"

Em entrevista à BTV, o administrador da SAD encarnada definiu as linhas gerais de um projeto de futuro a propósito dos quinze anos de presidência de Luís Filipe Vieira

Domingos Soares Oliveira, administrador executivo da SAD do Benfica, acredita que dentro de 15 anos os encarnados serão "um dos dez melhores clubes europeus, garantidamente". Este vaticínio foi feito numa entrevista à BTV, na qual o dirigente recorda os 15 anos de presidência de Luís Filipe Vieira, apontando já para o futuro.

"Nunca desenhei na minha cabeça onde é que poderia estar o Benfica passados dez ou 15 anos, na altura em que entrei no clube, a questão era muito de luta pela sobrevivência do projeto e o que pensávamos era muito no curto prazo. Resolvemos isso, tivemos possibilidade de pensar no médio prazo e hoje em dia pensamos claramente no longo prazo. Se consigo imaginar onde estaremos daqui a dez ou 15 anos? Consigo! Consigo ter uma ambição, um sonho, que é muito mais sustentável. Temos um clube moderno, forte do ponto de vista financeiro e dos seus recursos pessoais. A qualidade das pessoas que temos hoje, das infraestruturas, de um pensamento estratégico e dos nossos técnicos faz-me pensar que o Benfica será - não sei se o melhor - um dos dez melhores clubes europeus garantidamente daqui a 15 anos", assumiu.

O sonho europeu de Vieira

O administrador e CEO da SAD benfiquista reafirmou que a atual estratégia passa por "reter o talento" formado no Seixal. "Houve uma altura em que tivemos de vender jogadores porque precisávamos do produto dessa venda para equilibrarmos as contas. Hoje equilibram-se sem isso. A venda de jogadores tem servido pontualmente para acrescentar mais um pouco de valor aos nossos resultados e reconstruir os capitais próprios, que é aquilo que temos feito. Só nos últimos dois anos demos mais de 60 milhões de lucro. O facto de cada vez necessitarmos menos de vender jogadores significa que temos mais capacidade de os reter. Tenhamos também nós a capacidade para lhes pagar, se calhar não tudo aquilo que poderão receber lá fora, mas que a diferença não seja assim tão grande", frisou.

Ainda recentemente o presidente Luís Filipe Vieira assumiu o desejo de ver o Benfica chegar a um título europeu com uma equipa com base nos jogadores da formação. Soares Oliveira lembra que os clubes que estão quase sempre nas meias-finais e nas finais europeias "são sempre os mais ricos", razão pela qual prefere ser "mais cauteloso" quanto à ambição do líder encarnado.

"Poderia citar 10 a 15 jogadores que estão ao mais alto nível e que passaram pelo Benfica. Se tivermos no futuro a capacidade de reter esse talento, com os jogadores formados dentro do Benfica e com um ou outro que possam não ter sido formados no clube, acho que temos condições para ambicionar esse sonho. Não sei se vai ser daqui a cinco ou dez anos, sei que estão criadas as condições no clube para reter o talento, e é através do talento que se consegue alcançar os melhores objetivos", justificou.

Estratégia de expansão internacional

Domingos Soares Oliveira explicou ainda que o clube tem uma estratégia internacional. "Somos bons a formar, temos resultados que conseguimos demonstrar, em todo o mundo há jogadores formados pelo Benfica e que são reconhecidos internacionalmente. É esse valor acrescentado que podemos trazer às organizações, seja na China, nos Estados Unidos ou na Europa. Nos últimos dois meses, andei a fazer apresentações em vários países e assim vou continuar. Dentro de pouco tempo vou para Miami. A ideia é sempre transmitir às pessoas aquilo que fazemos bem aqui, as nossas competências e com isto conseguir gerar reconhecimento lá fora e fazer com que as pessoas acreditem em nós, para que possamos desenvolver os atletas desses países", revelou.

E é nesse contexto que o administrador falou na necessidade que foi sendo sentido internamente de expandir a marca além-fronteiras. "Sentimos, ao longo dos últimos anos, que não estávamos a ter um crescimento de receitas suficiente ao nível dos principais clubes europeus. Precisámos de imaginar uma solução para dar um salto para fora que nos permitisse ir buscar mais dinheiro. Esse salto tem uma parte, que é um lá para fora cá dentro, que tem a ver com todo o nosso projeto digital, em que vamos gerar mais receitas em termos nacionais e internacionais. E depois há outra parte: temos um conjunto de mercados que nos pedem para os apoiarmos no desenvolvimento da sua atividade. O grande objetivo do Benfica é que o seu know-how, a sua competência seja reconhecida. Por isso é que pomos muito enfoque nesta fase de exportação de uma das nossas principais mais-valias, que é o futebol de formação", sublinhou

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG