Nadal, Djokovic e Serena vencem, Sousa e Wozniacki ficam pelo caminho

Os tenistas Rafael Nadal, Novak Djokovic e Serena Williams avançaram esta segunda-feira, sem surpresa, para a segunda ronda de Roland Garros, segundo 'Grand Slam' da temporada, com João Sousa e Caroline Wozniacki a ficarem pela estreia.

O número um nacional e 70.º colocado no ranking ATP, à semelhança do sucedido há um ano, não conseguiu superar a ronda inaugural em Paris, ao ceder diante o espanhol Pablo Carreño Busta (57.º ATP), pelos parciais de 6-3, 6-1 e 6-2, em uma hora e 42 minutos.

Se em 2018 havia sido eliminado na estreia pelo argentino Guido Pella, hoje foi travado pelo antigo top-10 mundial que, apesar de não vencer um encontro desde o Open da Austrália em janeiro e ter contraído uma lesão no ombro direito um mês depois, mostrou-se mais sólido e confiante no arranque do torneio, que vai decorrer até 9 de junho na capital francesa.

Enquanto o vimaranense volta na terça-feira ao 'court' 5 na companhia do argentino Leonardo Mayer para defrontar o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers na prova de pares, Carreño Busta vai agora jogar com o australiano Alex de Minaur.

Já o espanhol Rafael Nadal, no primeiro confronto com o alemão Yannick Hanfmann (180.º ATP), fez um bom primeiro ensaio na terra batida parisiense, garantindo em três 'sets' a passagem à segunda ronda, por 6-2, 6-1 e 6-3, em uma hora e 57 minutos.

Nadal, segundo colocado da hierarquia ATP, procura o 12.º troféu em Roland Garros e, depois de eliminar Hanfmann, que jogou pela primeira vez o quadro principal do 'major' francês, vai medir forças com outro 'qualifier', desta feita o alemão Yannick Maden (114.º ATP), vencedor do duelo com o belga Kimmer Coppejans, por 7-6 (7-5), 7-5 e 6-3.

Uma primeira jornada igualmente tranquila viveu o sérvio e número um mundial Novak Djokovic. Apontado com um dos principais favoritos ao triunfo em Paris, Djokovic só precisou de um pouco mais de uma hora e 30 minutos no renovado 'court' Philippe Chatrier para bater o polaco Hubert Hurkacz (44.º ATP), pelos parciais de 6-4, 6-2 e 6-2.

Além de procurar igualar o feito alcançado em 2016, quando venceu Roland Garros, o sérvio, que vai agora defrontar o 'lucky loser' Henri Laaksonen, ambiciona conquistar em Paris o 16.º 'major' da carreira, devendo ter como grande rival nessa missão Rafael Nadal, o recordista de títulos em Paris (11).

Entre os principais candidatos ao título, o austríaco Dominic Thiem (4.º ATP) foi quem teve maiores dificuldades para manter-se em prova. Frente ao norte-americano Tommy Paul (131.º ATP), levou duas horas e meia para vergar o adversário, por 6-4, 4-6, 7-6 (7-5) e 6-2, e marcar encontro com Alexander Bublik.

Na competição feminina, a norte-americana Serena Williams, detentora de 23 títulos do 'Grand Slam', também sentiu algumas dificuldades para se impor à russa Vitalia Diatchenko (83.ª WTA) mas, após três partidas, alcançou o acesso à fase seguinte, por 2-6, 6-1 e 6-0. A sua próxima adversária sairá do desafio entre a 'qualifier' Kurumi Nara e Dalila Jakupovic.

Ao contrário de Serena Williams, e após a desistência da checa Petra Kvitova, devido a uma lesão no braço esquerdo (o seu dominante), a dinamarquesa Caroline Wozniacki (13.ª WTA) juntou-se a Angelique Kerber (5.ª) e Julia Georges (18.ª) no lote de cabeças de série que ficaram pelo caminho, ao ceder diante a russa Veronika Kudermetova (68.ª), por 0-6, 6-3 e 6-3.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG