Silas e a saída de Bruno Fernandes: "Ainda é cedo para perceber o que podemos fazer"

O treinador do Sporting, Jorge Silas, espera "um jogo disputado, com as duas equipas a quererem vencer", na partida de domingo com o Sporting de Braga, da 19.ª jornada da I Liga de futebol, em Braga.

A saída de Bruno Fernandes para o Manchester United e a resposta da equipa do Sporting à ausência do médio goleador era um tema incontornável na conferência de antevisão do jogo deste domingo com o Sp. Braga e Jorge Silas vinha preparado para falar do futuro da equipa 'leonina' sem o médio goleador.

"Vamos ter um Sporting diferente, porque o Bruno permitia fazer umas coisas. Saiu o Bruno e eu acho que podemos fazer outras coisas que, com ele, se calhar não podíamos fazer. Vai ser diferente, mas ainda é cedo para percebermos o que poderemos fazer sem o Bruno", disse.

Certo para o treinador do Sporting é que a equipa não se pode agarrar ao passado recente, até porque Bruno Fernandes não foi o primeiro grande jogador a sair do Sporting.

"Às vezes não conseguimos avançar, porque nos agarramos a coisas boas ou más. Temos de começar a pensar no Sporting sem o Bruno - eu já andava a pensar nisso há mais tempo. Naturalmente que o Bruno é um grande jogador e, seguramente, vai demonstrar isso no Manchester United", disse, realçando: "Mas o Sporting já ficou sem o Cristiano Ronaldo, sem o Figo, sem o Jordão, sem o Manuel Fernandes, sem o Damas, e continuou a andar para a frente. Nós vamos, seguramente, apresentar coisas diferentes e vamos dar uma resposta boa à ausência do Bruno."

Jorge Silas considera que há outros jogadores no clube, como Vietto - que pode jogar na posição de Bruno Fernandes -, Coates, Mathieu, Bataglia e Wendel, que têm de assumir responsabilidades diferentes para fazerem face à ausência de Bruno Fernandes, que, reconheceu, "tinha um grande peso na equipa do Sporting".

"Naturalmente que alguns jogadores vão ter de assumir responsabilidades diferentes. E se estiverem dispostos a assumir essa responsabilidade e abertos a coisas diferentes, acho que vamos conseguir fazer coisas boas", adiantou.

Questionado sobre os reforços contratados no passado mês de janeiro, Jorge Silas disse que todos os treinadores gostariam de ter o Ronaldo e o Messi, mas reconheceu que a SAD do Sporting fez as contratações possíveis. "Temos os jogadores que temos. O mercado deu-nos o Sporar, estamos contentes. Mas perdemos o Luiz Phellype, estamos tristes por isso - era uma peça que não estávamos a contar perder. Entretanto, também conseguimos inscrever o Pedro Mendes, o Francisco Geraldes", disse.

Quanto ao jogo com o Sp. Braga, Silas prevê equilíbrio: "Acho que o jogo vai ser disputado, com duas equipas a quererem ganhar, porque ambas jogam sempre para ganhar. Vai ser um jogo diferente do que foi o último contra o Braga (triunfo dos bracarenses por 2-1 nas meias-finais da Taça da Liga), porque agora também temos um conhecimento maior daquilo que o Braga pode fazer. Os jogos que tínhamos visto do Sporting de Braga eram muito poucos e não dava para ver como poderiam reagir a diferentes sistemas", disse o técnico.

Jorge Silas justificou ainda: "Agora já há um conhecimento maior - tanto nosso como deles também, mas, sobretudo nosso, porque eles já nos conheciam melhor -, portanto, acho que vai ser um jogo ligeiramente diferente a nível estratégico, mas na sua essência igual, porque ambas as equipas vão querer ganhar. Nesse sentido, não vai ser muito diferente."

A finalizar mostrou-se confiante para o resto do campeonato: "Tenho a certeza que trouxemos o que pudemos, devido ao nosso contexto financeiro. Temos os jogadores que temos. Estou contente com os jogadores que tenho e estou convencido de que se estiverem disponíveis e abertos a coisas novas, se não forem resistentes, podemos fazer uma boa segunda volta."

O Sporting, terceiro classificado, com 32 pontos, joga este domingo, às 17:30, com o Sporting de Braga, quinto com 30 pontos, no Estádio Municipal de Braga.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG