Houve festa espanhola em Trás-os-Montes

Adrián López fez um póquer no passeio do FC Porto em Vila Real. Os dragões golearam a equipa que milita nos distritais por 6-0 e seguem em frente na Taça de Portugal

O FC Porto fez um autêntico passeio por Trás-os-Montes, onde não sentiu dificuldades em golear o Vila Real, equipa que milita nos distritais, por 6-0. Os dragões garantiram facilmente o apuramento para a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal, numa noite que os vila-realenses tão cedo não vão esquecer pela visita do campeão nacional. Mas a festa acabou por ser de um homem: o espanhol Adrián López, que pela primeira vez na carreira marcou quatro golos num jogo e mostrou a Sérgio Conceição que pode contar com ele.

A partida até começou bem para o Vila Real, pois conquistou o primeiro canto da partida e na sequência o guarda-redes Fabiano teve de dar uma palmada na bola para que a bola não chegasse a Mika, que estava sozinho no segundo poste. E foi a única coisa que se viu do Vila Real na primeira parte.

Os dragões, com três habituais titulares no onze (Felipe, Militão e Herrera), tomaram então conta do jogo, começaram a rondar a área e logo aos sete minutos abriu o marcador no primeiro remate à baliza de Vítor Murta. Adrián López, com um remate cruzado, começou a destruir o sonho transmontano. O avançado espanhol voltou a marcar, pouco depois aproveitando uma bola perdida na área.

Mesmo jogando a um ritmo baixo, a equipa de Sérgio Conceição fazia valer os melhores atributos técnicos dos seus jogadores, com destaque para Óliver Torres e para um dos estreantes, o holandês Bazoer (o outro foi Jorge), que já perto do intervalo se isolou e foi derrubado já perto da área. Um lance que originou a expulsão do central Raúl Babo. E como um mal nunca vem só (para o Vila Real, claro), eis que Adrián López fez o seu primeiro hat-trick de dragão ao peito, cobrando o livre direto de forma magistral.

Com apenas dez unidades em campo e a perder por 3-0, ao Vila Real não restava outra alternativa senão tentar evitar a goleada na segunda parte. Mas não conseguiu. À medida que os minutos passavam, aumentava o desgaste físico dos jogadores transmontanos, todos eles amadores, que treinam ao final do dia após os seus trabalhos.

Os golos foram aparecendo com naturalidade, primeiro por Soares, depois por André Pereira, até que chegou o póquer de Adrián López, que até esta sexta-feira só tinha marcado um golo nos 29 jogos de dragão ao peito. Pouco depois o espanhol de 30 anos, que está ligado ao FC Porto desde 2014, foi substituído debaixo de uma grande ovação que assinalou o primeiro póquer da sua carreira. Aliás, há sete anos que um jogador do FC Porto não marcava tantos golos numa partida: foi o brasileiro Walter frente ao Pero Pinheiro, também para a Taça de Portugal.

FICHA DO JOGO
Complexo Desportivo Monte da Forca, em Vila Real
Árbitro: António Nobre (Leiria)

Vila Real - Vítor Murta, Zé Diogo, Raúl Babo, Edu, Solas; Mika, Zé Pedro, André Sampaio (Zé Carvalho, 55'); Rui Sampaio (Gil Pinto, 67'), Diogo Paixão (Tiago Mourão, 55'), Dioguinho
Treinador: Patrick Canto

FC Porto - Fabiano; João Pedro, Felipe, Éder Militão, Jorge; Herrera (Jesús Corona, 63'), Bazoer, Óliver Torres; Adrián López (Sérgio Oliveira, 73'), Soares, André Pereira (Marius Mouandilmadji, 63')
Treinador: Sérgio Conceição

Cartão amarelo a Óliver Torres (42'). Cartão vermelho a Raúl Babo (44').

Golos: 0-1; Adrián López (7'); 0-2; Adrián López (14'); 0-3; Adrián López (45+2'); 0-4; Soares (49'); 0-5; André Pereira (62'); 0-6; Adrián López (66').

VEJA O RESUMO DA PARTIDA

FILME DO JOGO

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG