Sérgio Conceição: "Foi um jogo algo cruel para nós..."

Treinador do FC Porto emocionou-se

Sérgio Conceição estava visivelmente triste e emocionado no final do jogo que deu a Taça de Portugal ao Sporting nas grandes penalidade. Quase sem voz admitiu que foi um jogo "cruel para o Sporting". "Era supermerecida a nossa vitória. As estatísticas mostram que fomos superiores. É cruel porque é um grupo de trabalho que fez de tudo para ganhar esta Taça de Portugal, era merecido. Sentimos muito o nosso clube, a nossa profissão, trabalhámos de uma forma incrível para ganhar, mas perdemos nos penáltis. É cruel e é injusto, mas a vida é isto", desabafou o treinador do FC Porto de lágrimas nos olhos.

Quase sem forças para responder, o técnico não escondeu a desilusão por mais uma derrota: "É o momento. Ter a minha família no relvado triste com este momento, porque mereciam esta vitória, a família portista que já não está cá, mas é difícil para eles. Há uma frustração e um sentimento de grande injustiça. É isto. Fico muito tocado porque, se realmente tivesse alguma coisa na preparação do jogo falhado, não ficaria tão magoado. Não gosto de perder. Desta forma ainda custa mais."

Logo após a entrega de medalhas, Sérgio recebeu um abraço da família no relvado. "Sou igual a mim próprio, sou apaixonado pela vida, pela profissão. Vivo intensamente o que são os meus dias. A nossa família de sangue a nossa de sangue compreendem o que é a desilusão e a frustração. Mas com certeza que esse sentimento temos nós todos", explicou o técnico.

O técnico do FC Porto deixou a certeza de que a sua equipa "fez mais do que o suficiente nos 90 minutos para ganhar, que nem merecia ir para o prolongamento".

"Os minutos iniciais foram equlibrados, fizemos o golo e assumimos o controlo do jogo, mas a acabar a primeira parte num remate em que a bola ia para fora, houve um desvio no Danilo, e foi golo", começou por dizer na análise ao jogo.

"A segunda parte foi totalmente controlada por nós, criámos oportunidades, tivemos duas bolas nos postes e facilmente criávamos situações para marcar. No prolongamento, sofremos o golo, mas com grande vontade, determinação e crença continuámos à procura do empate, que conseguimos já perto do final, numa altura em que o Sporting já perdia tempo e o árbitro só deu um minuto. O desfecho é injusto por tudo o que foi o jogo", sublinhou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG