Sérgio Conceição: "Não ganhámos nada, conseguimos um resultado positivo"

Treinador feliz com o triunfo sobre o Krasnodar (1-0) esta quarta-feira.

Sérgio Conceição falou à Sport TV, após a vitória dos azuis e brancos em Krasnodar, por 1-0, em jogo da primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões. "Acho que conseguimos condicionar o adversário no que mais gosta de fazer. Esta equipa do Krasnodar gosta de ter bola, de controlar o jogo. A nossa primeira parte, nesse sentido, foi boa. Pecámos, na minha opinião, à entrada da zona de definição. São situações normais até pela falta de conhecimento, natural de início de época, na zona de definição, no último passe. Se fôssemos mais assertivos, podíamos ter feito golos e, na zona de finalização, tivemos ocasiões para ir para o intervalo em vantagem no marcador", explicou o técnico dos dragões.

Depois na segunda parte o jogo foi um pouco diferente: "Na segunda parte, possibilitámos que o jogo ficasse mais dividido, mas lembro-me de uma ocasião que o nosso guarda-redes fez uma excelente defesa. Estivemos sempre próximos do último terço, de definir melhor. Mas importante foi ver um FC Porto compacto, dentro do que preparámos para o jogo, a querer muito cumprir. Com isso, devo felicitar os jogadores, que interpretaram o trabalho a fazer, principalmente sem bola."

Apesar do triunfo e da vantagem de um golo para a segunda mão, no Dragão, o técnico portista lembrou que não se deve "desvalorizar" a equipa do Krasnodar: "Nos últimos sete jogos europeus, ninguém ganhou aqui. É uma equipa competitiva, positiva, que investiu para seguir em frente e estamos a meio de uma eliminatória. Não ganhámos nada, conseguimos um resultado positivo. Agora, concentrar, descansar e pensar no jogo de Barcelos, o primeiro do campeonato, queremos dar uma resposta positiva."

Agustín Marchesín chegou ao Dragão esta semana e já foi titular na baliza portista. "Marchesín deu-me todas as garantias, porque vinha também já de um campeonato que já tinha começado. Guarda-redes muito experiente, tranquilo, com a qualidade que eu conhecia. Estavam todos os ingredientes reunidos para que começasse o jogo. Uma palavra para o Diogo Costa, Vaná, Mbaye, que têm trabalhado muito bem mas depois cabe-me a mim decidir", confessou Sérgio Conceição.

E ausência de Nakajima, Saravia, Tomás Esteves e Osorio da ficha de jogo? "São escolhas que faço em função do jogo que vamos ter, projetando aquilo que poderão ser os momentos do jogo em que temos de ter soluções no banco. Sábado pode passar por outros jogadores. Como disse, temos um plantel que dá garantias, competitivo, jogadores da valia do Naka [Shoya Nakajima], do Saravia, do Tomás [Esteves], do Osorio, que também ficou de fora. Sábado poderão ser outros. A competitividade é de louvar e a aceitação dos jogadores é fantástica", respondeu.

Sérgio Oliveira: "Eu só penso em ajudar"

Sérgio Oliveira marcou de livre direto, aos 89 minutos da partida contra o Krasnodar, na Rússia. "Este era um jogo em contexto difícil e conseguimos sair daqui com uma vitória difícil e importante. Há que sabe sofrer, faz parte de uma grande equipa, e no momento certo fizemos o golo. Estamos em vantagem na eliminatória, é importante. Mas eu só penso em ajudar. O foco agora é a estreia na Liga, no sábado", disse o médio no flah interview da Sport TV.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.