Seleção feminina atinge melhor ranking FIFA de sempre no 30.º lugar

Portugal está a apenas um ponto do lugar 29, que é ocupado pela República Checa, e só a 8 do lugar 28, que é neste momento da Polónia.

A seleção portuguesa feminina de futebol subiu esta sexta-feira ao 30.º lugar no ranking mundial, a melhor posição de sempre na hierarquia da FIFA, o que representa uma subida de dois lugares relativamente à classificação anterior.

Portugal tinha terminado o ano de 2018 em 32.º lugar, após o desempenho na Algarve Cup, que contou com um triunfo sobre a Suécia, nona classificada, a impulsionar a quinta subida consecutiva em outros tantos trimestres.

Foi também a quinta subida consecutiva nos últimos cinco trimestres: 38.º em dezembro 2017, 36.º em março 2018, 34.º em junho 2018, 33.º em setembro 2018, 32.º em dezembro 2018 e agora 30.º em março 2019.

Desde dezembro do ano passado, as comandadas de Francisco Neto (que na primeira jornada da Algarve Cup cometeram a proeza de bater a Suécia, n.º 9 do mesmo ranking) subiram três pontos (de 1665 para 1668) e ultrapassaram a Finlândia, Gales e a Tailândia.

Portugal está a apenas um ponto do lugar 29, que é ocupado pela Rep. Checa, e só a 8 do lugar 28, que é neste momento da Polónia. Na última década, a seleção feminina registou uma subida de 35% neste ranking (de 46 para 30) e 25% em apenas três anos (de 40 para 30). A posição média anual também revela uma clara evolução positiva: 40.º em 2015, 38.º em 2016, 38.º em 2017, 33.º em 2018 e agora 30.º em 2019.

Os EUA voltam a liderar o ranking FIFA Women, seguidos de Alemanha, Inglaterra, França e Canadá.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.