Seleção de andebol perde com a Alemanha e fica no sexto lugar

Os alemães venceram Portugal por 29-27, em jogo de atribuição do quinto lugar.

A seleção nacional de andebol foi este sábado derrotada pela Alemanha, por 29-27, e terminou a participação no Campeonato da Europa no sexto lugar. Ao intervalo do jogo disputado em Estocolmo, os alemães já venciam por um golo (14-13).

Portugal já tinha garantido a melhor classificação de sempre em Europeus, além de ter conquistado o direito de participar no torneio de apuramento olímpico, em abril, para os Jogos de Tóquio 2020.

"Queríamos muito o quinto lugar, não conseguimos, mas temos de estar orgulhosos com o que conseguimos. Já em abril vamos disputar o apuramento para os Jogos Olímpicos e vamos tentar fazer história. Não queremos ficar por aqui", disse Pedro Portela, um dos jogadores em destaque na equipa das quinas.

"Parabéns à Alemanha pela vitória. Para nós não foi um bom jogo porque perdemos, mas estou muito orgulhoso pelo que fizemos, os jogadores foram fantásticos. O nosso objetivo era chegar à Ronda Principal, o que era difícil porque tínhamos a França, conseguimos e depois batemos o sétimo lugar que alcançámos há 20 anos. E agora é continuar, passo a passo, porque temos de crescer, não podemos continuar por aqui", afirmou o selecionador nacional Paulo Jorge Pereira na conferência de imprensa após a partida.

O adeus de Portugal a uma competição que não disputava há 14 anos fez-se nos exatos pressupostos em que decorreu a passagem por Noruega e Suécia: jogar 'olhos nos olhos' com as melhores equipas europeias, confiar no talento do guarda-redes Alfredo Quintana e no sistema sete contra seis para resolver alguns problemas ofensivos.

A derrota no jogo de atribuição do quinto e sexto lugares no torneio, na Tele2 Arena, em Estocolmo, não retira brilho ao desempenho de Portugal, que tinha como ponto alto da participação no Europeu o sétimo lugar alcançado em 2000, na Croácia.

Apesar de ter estado longe de protagonizar a melhor exibição no torneio, Portugal encontrou também uma seleção germânica mais desconcentrada do que a sua reputação sugere, ficando bem patente que o jogo tinha mais importância para a equipa das quinas do que para a Alemanha, campeã europeia em 2004 e 2016 e detentora de três títulos mundiais e um olímpico.

O ascendente alemão fazer-se sentir de forma ténue desde o início do jogo, o que, aliado às intervenções de Alfredo Quintana, mantiveram a equipa lusa a um ou dois golos de distância, motivando a intervenção do selecionador Paulo Pereira ainda antes do meio da primeira parte.

Portugal melhorou, restabeleceu por várias vezes a igualdade, mas a Alemanha deteve sempre o comando do marcador, apesar de também ter cometido muitos erros no ataque, chegando ao intervalo a vencer pela margem mínima (14-13).

A seleção nacional entrou na segunda parte com o sistema atacante 'sete contra seis' e, apesar de ter sido nessa altura que o adversário alcançou a maior vantagem (18-15) - permitindo dois golos ao guarda-redes Andreas Wolff -, Paulo Pereira manteve-se fiel à estratégia e Portugal chegou de novo ao empate, a 19 golos.

Foi preciso esperar pelo 46.º minuto para ver a equipa portuguesa pela primeira vez na liderança (24-23), passando para a frente por 26-24 pouco depois, mas a Alemanha 'puxou dos galões' e, com um parcial de 4-0 e o acerto de Wolff na baliza, conquistou um triunfo, afinal, natural.

Portugal despede-se do Euro2012 com um saldo de quatro vitórias - apenas menos uma do que total alcançado nas cinco participações anteriores - e outras tantas derrotas, numa caminhada em que bateu 'colossos' como a França e a Suécia e em que chegou a sonhar com a qualificação para as meias-finais.

FICHA DO JOGO

Jogo na Tele2 Arena, em Estocolmo (3000 espetadores)

Árbitros: Mirza Kurtagic e Mattias Wetterwik (Suécia)

Alemanha - Andreas Wolff (2), Johannes Golla (4), Kai Häfner (2), Fabian Böhm (2), Timo Kastening (1), Patrick Zieker (3) e Paul Drux (1). Jogaram ainda: Uwe Gensheimer, Tobias Reichmann (1), Philipp Weber, Marian Michalczik (3), Julius Kühn (6), David Schmidt (2), Jannik Kohlbacher (2) e Johannes Bitter
Treinador: Christian Prokop

Portugal - Alfredo Quintana, Pedro Portela (1), João Ferraz (4), Rui Silva (3), André Gomes, Diogo Branquinho (3) e Luís Frade (1). Jogaram ainda: Belone Moreira (2), Daymaro Salina (2), Tiago Rocha, Alexis Borges (4), Alexandre Cavalcanti (2), António Areia (1), Fábio Magalhães (1), Miguel Martins (3).
Treinador: Paulo Jorge Pereira

Marcha do marcador: 2-1 (05 minutos), 5-3 (10), 7-7 (15), 9-8 (20), 13-11 (25), 14-13 (intervalo), 17-15 (35), 20-19 (40), 23-22 (45), 25-26 (50), 27-26 (55) e 29-27 (resultado final).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG