Ronaldo quer encontrar mulheres do McDonald's que lhe davam comida aos 12 anos

Avançado português diz que gostava de encontrar as mulheres que o ajudaram e convidá-las para jantar. Sobre as pessoas em quem confia, diz que atualmente só há quatro que têm a sua confiança a 100%.

Quando veio da Madeira para Lisboa, para jogar nas camadas jovens do Sporting, Cristiano Ronaldo viveu com outros rapazes num lar. Foram tempos difíceis, longe da família, sem recursos, mas que o jogador não esquece. Na entrevista concedida à ITV, CR7 recordou esses tempos e particularmente um episódio: quando ia ao McDonald's, sem dinheiro, e algumas empregadas lhe davam os hambúrgueres que sobravam.

"Quando era miúdo, aí com uns 12 anos, não tínhamos dinheiro. E vivíamos juntamente com outros jovens jogadores provenientes de outras zonas do país. Era um período complicado, sem a família por perto. Às 10 e tal 11 horas, tínhamos fome e havia um MacDonald's perto. Pedíamos os hambúrgueres que sobravam e uma senhora chamada Edna, mais outras duas raparigas, davam-nos aquilo que sobrava. Espero que esta entrevista ajude a encontrá-las. Queria convidá-las para jantar comigo, em Turim ou em Lisboa. Quero poder devolver aquilo que fizeram por mim. Nunca me esqueci desse momento", disse na entrevista, na qual confessou que atualmente tem" muito dinheiro no banco". "Se calhar não devo dizer isso, mas é verdade e não posso esquecer. Se tenho 17 carros, não vou dizer que tenho dois", acrescentou.

Na mesma entrevista, Ronaldo recordou o recente episódio em que foi acusado de violação, uma situação de que entretanto já foi ilibado. "Mexeram com a minha dignidade. Tenho namorada, família, filhos. Quando mexem com a dignidade é duro. Um dia estava na sala a ver televisão com a minha namorada e as notícias falavam sobre isto e aquilo. Ao ouvir os meus filhos descer as escadas, mudei de canal. Sentia-me envergonhado", relatou. Por isso, hoje em dia só confia num círculo restrito de pessoas: "A 100% só confio em quatro pessoas. Não digo quem são, mas tenho confiança total nelas. É o suficiente para mim."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG