Ronaldo e o caso da violação: "O pior é para a minha mãe e as minhas irmãs"

Português falou das razões da sua saída no Real Madrid, a Bola de Ouro e do caso de violação em entrevista à France Football

Na primeira grande entrevista desde que assinou pela Juventus, Cristiano Ronaldo explicou à France Football que não se sentia visto como indispensável no Real Madrid.

"Sentia que o clube, sobretudo o presidente [Florentino Pérez], não me consideravam como no início. Nos primeiros quatro ou cinco anos tinha a sensação de ser Cristiano Ronaldo. Depois menos. O presidente olhava-me com outros olhos, como se já não fosse essencial", disse o português na entrevista que será publicada na revista francesa esta terça-feira.

"Quando surgiriam notícias no sentido de que eu queria sair, tive a impressão de que o presidente não me impediria", acrescentou, negando que a saída do treinador Zinedine Zidane tivesse contado na sua decisão de deixar Madrid.

Sobre a sua transferência para a Juventus, CR7 frisou que não se tratou de dinheiro. "Se fosse por uma questão de dinheiro teria ido para a China, onde me ofereciam cinco vezes mais. Não vim para a Juventus por dinheiro. Ganhava o mesmo em Madrid, até mais. A diferença é que a Juventus me queria de verdade. Disseram-me. Demonstraram-me."

Cristiano Ronaldo afirmou também que merece a Bola de Ouro de 2018, atribuída precisamente pela France Football. "Disse muitas vezes que ganhar a sexta Bola de Ouro não é uma obsessão. Eu já sei que sou um dos melhores jogadores da história. Mas claro que eu quero ganhar esta sexta Bola de Ouro. Estaria a mentir se dissesse o contrário. Trabalho para isso, tal como eu trabalho para marcar golos e ganhar jogos sem ser uma obsessão. Acho que a mereço ganhar", rematou, num excerto divulgado pela própria revista.

Acerca da acusação de violação de que foi alvo, relativamente a um caso de há nove anos num quarto de hotel em Las Vegas, nos Estados Unidos, Ronaldo confessou que "essa história interfere" com a sua vida. "Tenho uma companheira, quatro filhos, uma mãe, duas irmãs, um irmão e uma família que sinto como muito próxima. Sem contar com a minha reputação, que é a de alguém exemplar", assegurou, num excerto publicado pelo As. "O meu filho [Cristiano Jr.] é pequeno demais para perceber. O pior é para a minha mãe e as minhas irmãs. Elas estão tristes e ao mesmo tempo zangadas. É a primeira vez que as vejo nesse estado," aditou, mostrando-se convicto de que verdade "se venha a saber algum dia" e prometeu vingança a quem o critica e faz da sua vida "um circo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG