Rede criminosa arménia ganhou milhões com fraude em torneios de ténis

Grupo pagou a tenistas internacionais para fabricar resultados nos jogos.

A Guarda Civil Espanhola desmantelou uma organização criminosa arménia envolvida na manipulação de jogos profissionais de ténis. Foram detidas 83 pessoas, entre estas estão 28 jogadores profissionais de ténis - um deles jogou no último US Open, em 2018.

"No dia da ação, foram revistadas 11 casas em Espanha, onde foram apreendidos 167 mil euros em dinheiro, além de uma espingarda, mais de 50 aparelhos eletrónicos, cartões de crédito, cinco veículos de luxo e documentação relacionada com o caso. Para além disto, foram congeladas 42 contas bancária", pode ler-se num comunicado de imprensa da Europol.

O grupo arménio pagava a tenistas profissionais para garantir que as suas equipas obtinham os resultados combinados. Depois investiam dinheiro em casas de apostas internacionais e marcavam presença nos jogos para garantir que o esquema era devidamente executado.

A investigação, coordenada pelo Supremo Tribunal de Espanha e apoiada pela Europol, começou em 2017 quando a organização responsável por investigar a corrupção e a manipulação de resultados no ténis profissional - Unidade de Integridade do Ténis - denunciou que estavam a ser combinados previamente resultados com os profissionais das categorias ITF Futures e Challenger.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG