Quem é e o que defende o segundo homem em 38 anos a enfrentar Pinto da Costa?

O jurista e comentador garante que se vai apresentar nas eleições de abril para a presidência do FC Porto. Desde 1982, apenas o médico Martins Soares o fez (1988 e 1991). Das duas vezes foi esmagado nas urnas e hoje anunciou que também vai a votos.

É um caso raro na história do reinado de 38 anos de Pinto da Costa como presidente do FC Porto. Mas desta vez o líder dos dragões vai ter concorrência nas eleições agendadas para o dia 18 de abril. O candidato é José Fernando Rio, jurista de 52 anos e comentador do FC Porto, que anunciou a ida às urnas no domingo à noite, no programa Trio de Ataque, da RTP3.

"Esta é uma candidatura pelo FC Porto, não é contra ninguém. Há uma perda de competitividade do FC Porto, que começa nas contas e que passa para a área desportiva do clube. Nem tudo o que está para atrás foi mal feito, mas as coisas pioraram muito nos últimos tempos", referiu. "Candidato-me por uma mudança de liderança, que venha modernizar o clube. O FC Porto precisa de ser discutido, de ideias novas, de pessoas novas", acrescentou.

Pinto da Costa tem sido sucessivamente eleito presidente do FC Porto desde abril de 1982. E apenas em duas ocasiões teve concorrência. Em ambas o médico e empresário portuense Martins Soares, nos atos eleitorais de 1988 e 1991. Saiu derrotado por larga margem. Na primeira vez contabilizou 535 votos contra os 10196 de Pinto da Costa. Na segunda, com uma candidatura cujo lema era "Pela decência", saiu-se melhor e obteve 20,14% dos votos. Refira-se que Martisn Soares anunciou também ele nesta segunda-feira que será novamente candidato ás eleições do dia 17 de abril

Martins Soares remeteu-se durante muitos anos ao silêncio. As poucas exceções foram algumas entrevistas dadas em 2016, na altura em que escreveu o livro "Pelo FC Porto. História das minhas candidaturas". Por essa altura, ao DN, contou o que o levou a enfrentar Pinto da Costa pela primeira vez, "incentivado" por um grupo de adeptos após a final da Taça das Taças perdida em Basileia, em 1984.

Mas a decisão final só aconteceu depois de uma entrevista de Pinto da Costa ao jornal Semanário, ao jornalista Miguel Sousa Tavares, na qual o presidente portista manifestava a vontade de sair. "Eu quero sair. Preciso de sair... tenho o direito de sair! Já cumpri o meu dever... ninguém pode dizer que não cumpri", desabafou então o líder dos dragões, admitindo, contudo, e era esta a frase do título da entrevista, que tinha medo de não conseguir sair.

Ou seja, desde os sufrágios de 1991 que Pinto da Costa não tem concorrência. Ao longo dos anos muito se falou da possibilidade de grandes personalidades do clube poderem avançar, casos de Vítor Baía, André Villas-Boas ou António Oliveira. Mas ficou sempre mais ou menos implícito que estes só ousariam avançar no dia em que Pinto da Costa não fosse a votos.

Mais recentemente, o empresário João Rafael Koehler, de 48 anos, confirmou que estava a ponderar candidatar-se. João Rafael Koehler é licenciado em Direito pela Católica do Porto e foi presidente da Associação Nacional de Jovens Empresários, além de ter sido um dos "tubarões" no programa "Shark Tank", da SIC.

Agora, precisamente horas depois de a SAD do FC Porto ter apresentado um resultado líquido consolidado negativo de 51,854 milhões de euros (ME) no primeiro semestre da época desportiva 2019/20, justificado pela qualificação falhada para a Liga dos Campeões de futebol, um sócio decidiu anunciar a sua candidatura.

Interventivo na televisão e nas redes sociais

José Fernando Rio tem 52 anos, é jurista e licenciado em Direito pela Universidade Católica do Porto. Adeptos dos dragões desde sempre, foi comentador desportivo no Porto Canal, onde participou em vários programas desde 2006, e atualmente integra o painel do programa Trio de Ataque, da RTP3. Nas redes sociais tem uma crónica semanal - "As 5 Conclusões Que Importa Retirar da Jornada da I Liga" que publica desde 2012. Entre 1998 e 2004 foi diretor geral da Bluebird SA, uma empresa de comércio a retalho de relógios e joias

"O FC Porto precisa de melhorar muita coisa para poder ser feliz no que resta da temporada. O treinador do FC Porto (que para mim é sempre parte da solução) vai ter de fazer alterações e mexer na equipa de modo a torná-la mais consistente no processo defensivo, mais criativa no processo ofensivo e mais eficaz no momento de atirar à baliza. O jogo tem de fluir de forma mais natural", escreveu numa desta suas crónicas, há um mês, depois de o FC Porto ter perdido com o Sp. Braga.

"Terminou a primeira volta, quem está no primeiro lugar segue com sete pontos de avanço sobre o segundo mas quase toda a gente tem a sensação de que o título está praticamente entregue. Será isto normal? Serão sete pontos uma barreira assim tão intransponível? O clube que vai na frente é assim tão melhor que os outros? Será que esse clube, como alguns (coitados) começam a defender, é mesmo grande demais para o nosso campeonato? É que quando passam a fronteira ficam muito pequeninos. Cá para mim têm é um call center eficiente", opinou numa outra crónica, de uma forma quase premonitória, pois entretanto o FC Porto recuperou seis pontos ao Benfica.

Nas redes sociais não deixa de ser sarcástico com o rival Benfica. Recentemente, após ter sido noticiado que os encarnados tinham recorrido ao serviço de uma empresa para arranjar figurantes para a Gala Cosme Damião, deixou o seguinte comentário no twitter: "São seis milhões mas nem o Campo Pequeno são capazes de encher...".

Em dezembro, no programa Trio de Ataque, da RTP3, lançou um ataque cerrado ao Benfica. "Rui Vitória não os teria ganho sozinho [títulos do Benfica]. Um alto quadro do Benfica vai a julgamento acusado de corrupção", disse na altura, referindo-se a Paulo Gonçalves.

E mais recentemente, no mesmo programa, comentou a acusação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) a Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, de seis crimes de violação de correspondência ou de telecomunicações, três dos quais agravados, e um crime de acesso indevido, no âmbito do caso dos e-mails do Benfica divulgados por J. Marques.

"A justiça está a confundir o mensageiro com a mensagem, está a perseguir o mensageiro em vez de se preocupar com os conteúdos das mensagens. Os e-mails revelaram factos que indicam ilicitudes por parte do Benfica. Quando se está na perspetiva de denunciar práticas que se consideram ilegítimas ou irregulares, é do interesse superior da justiça para com os cidadãos que esses eventuais crimes sejam investigados, e não perseguir e acusar quem tornou publicar essas situações. Se há violação de privacidade, tem de haver condenação. Mas o principal é olhar para o que foi revelado nos e-mails", disse recentemente no Trio de Ataque.

Em tempos foi também muito crítico com o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, deixando críticas ao órgão presidido por José Manuel Meirim em textos assinados no seu blogue, num assunto relacionado com Luís Filipe Vieira.

"Já passaram 10 dias desde que Luís Filipe Vieira substituiu Bruno de Carvalho no papel de incendiário do futebol português e ainda não ouvimos um murmúrio a José Manuel Meirim, presidente do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, nem vislumbramos um sinal, ténue que fosse, que nos indique que vai instaurar um processo disciplinar ao presidente benfiquista. Vieira condicionou a arbitragem portuguesa, coagiu um dos seus elementos, que se viu obrigado a afastar, e pôs em causa a imparcialidade e a liberdade de quem vai dirigir os próximos jogos do seu clube e os dos seus adversários. A bem da competição o castigo deve ser exemplar. Este comportamento é de tal maneira grave que até justificaria uma reunião de emergência. O silêncio do órgão disciplinar começa a ser de tal maneira ensurdecedor que põe em causa a sua própria independência e credibilidade", escreveu.

José Fernando Rio tem duas filhas, de um segundo (e atual) relacionamento, e é primo de Ricardo Rio, atual presidente da Câmara de Braga com ligações ao PSD.

Notícia atualizada às 17.20 do dia 2/03/2020

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG