Quatro detidos por causa dos cânticos racistas no Bulgária-Inglaterra

Episódio do jogo de apuramento para o Euro 2020 tem dado que falar e já levou à demissão do presidente da federação búlgara.

Foram detidas quatro pessoas na sequência dos cânticos racistas que na segunda-feira obrigaram a interromper por duas vezes o Bulgária-Inglaterra, jogo de apuramento para o Euro2020.

"Está a decorrer uma operação para identificar a punir as pessoas que cometeram atos indecentes no jogo entre as seleções da Bulgária e Inglaterra. Para já, foram detidas quatro pessoas, cujo envolvimento no incidente está a ser analisado", informou o ministério búlgaro do Interior em comunicado.

No documento é ainda anunciado que as autoridades "estão ainda a trabalhar para identificar outros envolvidos no incidente".

Os acontecimentos do jogo de segunda-feira levou a UEFA a anunciar a abertura de um processo disciplinar contra a Bulgária. Também a FIFA fez saber que poderá estender as eventuais sanções a nível global, caso o organismo europeu opte por castigar a federação búlgara.

O primeiro-ministro da Bulgária, Boiko Borisov, ordenou que se cancelem todas as relações entre o governo, incluindo as financeiras, e a União, até que o presidente apresente a demissão". Uma declaração que precedeu a demissão do presidente da União Búlgara de Futebol, Borislav Mihaylov, antigo guarda-redes do Belenenses.

O jogo de segunda-feira ficou marcado pelos persistentes insultos de adeptos búlgaros a vários jogadores ingleses, entre eles Tyrone Mings, que levaram o árbitro a interromper duas vezes o encontro.Também foi claramente visível que os adeptos da seleção anfitriã presentes no Estádio Nacional Vasil Levski, em Sófia, efetuaram saudações nazis.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG