PS demarca-se de críticas de Ana Gomes ao Benfica

Carlos César respondeu ao pedido de esclarecimento do Benfica sobre o que pensava o PS das declarações da ex-eurodeputada sobre a transferência de João Félix dizendo que "não vincula o Partido Socialista".

O Partido Socialista demarca-se das declarações da antiga eurodeputada Ana Gomes sobre a transferência do futebolista João Félix para o Atlético de Madrid, que num comentário a esse negócio entre o Benfica e o clube espanhol escreveu: "Negócio de lavandaria."

Essa declaração publicada na rede social Twitter a 27 de junho levou o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, a enviar uma carta ao presidente do PS, Carlos César, questionando-o sobre o que pensa o partido sobre essa frase. A resposta foi conhecida esta tarde.

"Na posse da sua carta de 11 de julho p.p., relacionada com declarações proferidas pela Dra. Ana Gomes, a qual desempenhou funções de Deputada no Parlamento Europeu, compete-me transmitir-lhe que o Partido Socialista não tomou qualquer 'posição institucional' sobre o assunto objeto dessas afirmações", começa por escrever Carlos César.

O documento tem dois parágrafos e o segundo diz o seguinte: "Assim, as opiniões da Dra. Ana Gomes refletem apenas uma posição própria e pessoal que, tal como em muitos outros casos, não vincula o Partido Socialista."

Esta resposta, a que o DN teve acesso, surge depois de Luís Filipe Vieira ter lembrado que o "Partido Socialista, por intermédio dos seus dirigentes, não tomou até à presente data qualquer posição institucional sobre as mesmas, mesmo sabendo que se trata de declarações proferidas por Ana Gomes em exercício de funções e em representação do Partido Socialista junto do Parlamento Europeu".

Numa carta de três páginas a que o DN teve acesso a direção encarnada deixava escrita a hipótese de existir "naturalmente o risco de o silêncio continuado do Partido Socialista perante as declarações proferidas pela então (sua) eurodeputada Ana Gomes, atento o evidente propósito de calúnia e a gravidade criminal associada, poder ser publicamente lido e entendido como aceitação tácita ou, pelo menos, tolerância quanto ao respetivo teor, enquanto tal extensível à Direção do Partido".

Perante esta situação, Luís Filipe Vieira pedia ao PS que "com a brevidade possível, e através da sua Direção, esclareça, de forma a não subsistirem publicamente quaisquer potenciais equívocos, se as declarações proferidas por Ana Gomes refletem a opinião do Partido ou se, ao invés, como está convicto o signatário, tais declarações não merecem senão rejeição e repúdio por parte do Partido".

Na sequência das declarações da antiga eurodeputada na rede social Twitter a 27 de junho, em resposta a um tweet onde se referia a transferência do futebolista para a equipa espanhola do Atlético de Madrid, o Benfica já tinha anunciado que ia processar Ana Gomes.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.