Portugal garante três equipas na Champions de 2021/22

Portugal assegurou hoje que vai terminar a época 2019/20 no top 6 do ranking de clubes de UEFA, garantindo duas entradas diretas, mais uma equipa na terceira pré-eliminatória, na Liga dos Campeões de futebol de 2021/22.

A eliminação do Krasnodar, que tinha afastado o FC Porto da Champions, ditou o prematuro adeus da Rússia, sétima da tabela, à presente edição das taças europeias, pois Zenit, Lokomotiv Moscovo e CSKA Moscovo também já tinham o destino traçado.

Na Liga Europa, os carrascos dos portistas ficaram no terceiro lugar do Grupo C, ao perderem por 3-0 na casa do Getafe, enquanto o CSKA Moscovo já sabe que terminará no quarto e último do H, independentemente do resultado com o Espanyol.

Por seu lado, o Zenit foi arredado das taças europeias pelo Benfica, que, na terça-feira, venceu por 3-0 os russos, na Luz, e 'atirou-os' para quarto posto do Grupo G, apesar dos sete pontos. O Lokomotiv foi último do Grupo D, com apenas três.

Ao contrário da Rússia, Portugal terá um mínimo de três equipas (o jogo do FC Porto ainda está a decorrer) nos 16 avos de final da Liga Europa, o Benfica, que tombou da Champions, o Sporting de Braga e o Sporting, apesar do desaire de hoje por 3-0 no reduto do LASK Linz. O Vitória, que já estava eliminado, venceu o Eintracht, em Frankfurt, por 3-2.

Com três ou quatro equipas em prova, Portugal tem uma excelente oportunidade para alargar significativamente a vantagem sobre os russos, o que poderá ser importante para as épocas seguintes a 2021/22, já que o ranking é sempre das últimas cinco temporadas.

Na sexta e última jornada da fase de grupos, e quando falta ainda metade da ronda da Liga Europa, Portugal conta 0,8 pontos, face aos triunfos de Benfica e Vitória de Guimarães, enquanto os russos estão a zero, face aos desaires de Zenit, Lokomotiv (0-2 no reduto do Atlético Madrid) e Krasnodar.

Todos os pontos somados (dois por vitória e um por empate) pelas equipas lusas são divididos por cinco (0,4 por vitória e 0,2 por empate), o número de equipas portuguesas que arrancaram para a época 2019/20, enquanto os russos têm de dividir os seus por seis (0,333 por triunfo e 0,166 por igualdade).

Portugal, que já sabe que em 2020/21 (sétimo nas contas entre 2014/15 a 2018/19) manterá a situação atual - uma entrada direta na Champions e outra na terceira pré-eliminatória -, selou hoje o sexto posto, recuperando uma segunda entrada direta em 2021/22.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG