Leão de Pontes salvou um ponto, mas ainda tem muito trabalho pela frente

O Boavista colocou-se cedo a ganhar por Marlon Xavier e só no segundo tempo o Sporting deu um ar da sua graça. Bruno Fernandes fez o empate e acabou expulso. O novo treinador dos leões precisa de tempo para fazer evoluir a equipa, mas os rivais já estão a quatro pontos de distância.

O Sporting de Leonel Pontes foi uma equipa com duas caras neste empate 1-1 no Bessa, com o Boavista, em jogo da 5.ª jornada da I Liga. Sofreu cedo um golo e isso talvez tenha marcado uma primeira parte difícil, em que denotou falta de agressividade e não conseguiu impor-se no jogo; no segundo tempo melhorou, foi uma equipa mais dinâmica e mais ofensiva, acabando por empatar por Bruno Fernandes, jogador que acabou expulso já perto do final.

No fundo, com tão pouco tempo de trabalho com todo o plantel por causa das seleções era difícil ao Sporting apresentar um nível de jogo superior, embora se tenham notado algumas diferenças no que diz ao posicionamento dos jogadores, sobretudo nas transições defensivas, que eram no fundo o grande problema herdado de Marcel Keizer.

O empate acaba por ser um mal menor para uma equipa que vai agora reconstruir-se em torno de uma nova ideia que Leonel Pontes vai querer implementar, o problema é que os leões só venceram dois jogos esta época e voltaram a atrasar-se em relação aos rivais diretos na luta pelo título, estando agora a quatro pontos de Benfica e Sporting. E, como se não bastasse, a pressão dos adeptos promete crescer se os resultados não começarem a aparecer, afinal após o jogo a equipa foi brindada com assobios quando se dirigiu ao seu público para agradecer o apoio.

Golaço de Marlon Xavier a abrir

O Boavista foi uma equipa muito agressiva sobre o portador da bola e isso causou muitos problemas ao adversário para ligar o seu jogo, sobretudo no primeiro tempo, altura em que os leões registaram sete perdas de bola no seu meio-campo.

É certo que o jogo ficou desde logo marcado pelo golo madrugador de Marlon Xavier, que cobrou um livre direto de forma magistral que não deu hipótese ao guarda-redes Renan Ribeiro. Esse golo deu confiança aos axadrezados no jogo, que a partir desse momento podiam passar a explorar ainda mais a pressão que faziam à entrada do seu meio-campo para provocar o erro e tentar aproveitar as rápidas saídas para o ataque para voltar a surpreender o Sporting.

Sem soluções ofensivas, até ao intervalo os leões viveram dos lançamentos em profundidade à procura de Bolasie, que apesar de estar a atuar fora da sua posição natural, como avançado centro (Luiz Phellype e Vietto não jogaram devido a lesão) deu o que tinha e até dispôs de uma boa oportunidade aos 27 minutos, quando recebeu no peito e rematou de primeira para uma boa defesa de Rafael Bracali.

Jesé em campo e Bruno Fernandes a marcar

A perder, Leonel Pontes prescindiu de Cristián Borja para a segunda parte, colocando Marcos Acuña como lateral para lançar em campo Jesé Rodríguez como extremo-esquerdo. O espanhol, que mostrou vontade mas pareceu um pouco lento na execução, permitiu que o Sporting ficasse com dois alas bem abertos, uma vez que Acuña tinha aparecido demasiadas vezes em zonas interiores, afunilando muito o jogo da equipa na primeira parte.

Os leões passaram a ter mais variabilidade nas suas ações ofensivas, mas continuou a ter dificuldades em entrar na área, pelo que a solução foram os cruzamentos para a área, que facilitou a tarefa dos centrais boavisteiros, sempre muito eficientes nas bolas pelo ar.

Acabou por ser num livre aos 62 minutos que o Sporting chegou ao empate, com alguma sorte, diga-se, pois o remate de Bruno Fernandes desviou num defesa e acabou por trair Rafael Bracali. Nos minutos que se seguiram viu-se uma equipa leonina a dar tudo para chegar ao golo da vitória, mas aí viu-se um Boavista de mangas arregaçadas, com os seus jogadores a não darem uma bola por perdida, sendo um bom exemplo o ponta-de-lança Stojiljkovic, que lutou até à exaustão na pressão sobre a defesa contrária.

Expulsão que condiciona o futuro

Um remate de longe de Bolasie esteve muito perto de dar vantagem ao Sporting, pois a bola ainda roçou a barra, e logo a seguir um cruzamento de Jesé Rodríguez, nas raras vezes que os leões chegaram à linha de fundo para cruzar, não foi desviado para a baliza pelo congolês por um triz. Mas foi o máximo que a equipa de Leonel Pontes conseguiu, pois aos poucos o Boavista foi recuperando a sua faceta de pressão e recuperação da bola na zona de construção de jogo do adversário, causando vários contra-ataques que causaram perigo para a baliza de Renan Ribeiro.

Para agravar os problemas que Leonel Pontes tem de ultrapassar nos próximos tempos, Bruno Fernandes foi expulso nos instantes finais da partida, após uma entrada fora de tempo sobre Obiora. Ou seja, no próximo jogo, em Alvalade, com o líder Famalicão o capitão e autêntico abono de família da equipa vai ficar de fora... antes disso, na quinta-feira, há um jogo complicado em Eindhoven, com o PSV, para a Liga Europa.

Quanto ao Boavista, mostrou ter uma equipa compacta e aguerrida, bem à imagem do treinador Lito Vidigal. Acaba a quinta jornada isolada no quarto lugar e é uma das duas equipas - a outra é o Famalicão - que ainda não perdeu na I Liga.

Este defesa-esquerdo que o Boavista recebeu do Fluminense por empréstimo fez um jogo irrepreensível em termos defensivos, pois raramente se deixou surpreender pela irreverência e qualidade técnica de Gonzalo Plata, jovem equatoriano lançado como titular por Leonel Pontes. Mas a ação mais importante que teve nos 90 minutos foi aquele livre cobrado de forma espetacular, que colocou os axadrezados a vencer e que, no final, valeu um ponto para a sua equipa.

VEJA AQUI OS GOLOS DA PARTIDA

FICHA DO JOGO

Estádio do Bessa (9 993 espectadores)
Árbitro: Jorge Sousa (Porto)

Boavista - Rafael Bracali; Fabiano Leismann, Neris, Ricardo Costa, Marlon Xavier; Rui Carraça, Akah Yaw (Obiora, 67'), Rafael Costa; Gustavo Sauer, Stojiljkovic (Cassiano, 90'+3), Yusupha Njié (Mateus, 56').
Treinador: Lito Vidigal

Sporting - Renan Ribeiro; Rosier, Luís Neto, Mathieu, Cristián Borja (Jesé Rodríguez, 46'); Bruno Fernandes, Doumbia, Wendel (Eduardo Henrique, 81'); Gonzalo Plata (Rafael Camacho, 88'), Yannick Bolasie, Marcos Acuña
Treinador: Leonel Pontes

Cartão amarelo a Wendel (5'), Neris (22'), Marcos Acuña (49'), Bruno Fernandes (49' e 90'+1), Stojiljkovic (68'), Luís Neto (68'), Bolasie (80'). Cartão vermelho a Bruno Fernandes (90'+1).

Golos: 1-0, Marlon Xavier (7'); 1-1, Bruno Fernandes (62')

Exclusivos