Pinto da Costa reeleito com 68,65% dos votos

Líder portista que está na cadeira da presidência desde abril de 1982 foi reeleito para um novo mandato até 2024. José Fernando Rio obteve 26,44%. dos votos e Nuno Lobo 4,91%.

Pinto da Costa foi na noite deste domingo reeleito para mais um mandato na presidência do FC Porto. O líder portista venceu as eleições totalizando 68,65% dos votos. José Fernando Rio ficou na segunda posição (26,44%) e em terceiro Nuno Lobo (4,91%).

"Estou muito contente pela forma como correu este ato eleitoral. Para quem levantou suspeitas da seriedade, foi uma resposta da massa associativa extraordinária. Queria congratular-me pelo respeito e interesse na vida do FC Porto. Votaram mais de oito mil sócios, o que é notável, porque há muita gente que teve medo de sair e como se pode verificar não houve perigo de contágio", começou por referir o líder portista, deixando uma palavra aos sócios: "Tenho de agradecer a todos os sócios que vieram votar e a todos os que confiaram em mim. Num momento que não é fácil para ninguém, vieram dar-me um voto de confiança para as batalhas que se seguem. A única coisa que posso prometer é que vou por o interesse do FC Porto acima de tudo."

"As pessoas acham que eu não tenho relutância com os políticos nem com ninguém. Mas com os políticos que não são isentos desportivamente e prejudicam o FC Porto, desses eu não gosto. Não tenho qualquer problema em ter políticos sérios e competentes a colaborar comigo no FC Porto. Não considero o Rui Moreira um político, se fosse estaria em algum partido. É um grande cidadão e um grande amante da cidade do Porto e um grande dragão, até é de ouro, não tenho problema e até tenho muita honra em tê-lo no Conselho Superior", concluiu.

Os 60 títulos no futebol e mais umas largas centenas nas modalidades ajudaram Pinto da Costa a virar o FC Porto do avesso nas últimas quatro décadas, mas o clube caiu a pique a partir do tricampeonato na época 2012/13, ao ponto de os azuis e brancos terem conquistado apenas uma I Liga e duas Supertaças nos últimos 20 cetros nacionais possíveis.

Pinto da Costa, de 82 anos, tinha anteriormente renovado o mandato em abril de 2016, registando 79% das preferências de 2.403 associados e 504 votos nulos sem concorrência nas urnas, que fixaram o triunfo eleitoral mais magro no século XXI.

Envolvido na luta pela reconquista da Liga e da Taça de Portugal com o rival Benfica, após a pausa motivada pela pandemia de covid-19, o líder portista formalizou em 27 de maio uma recandidatura focada na remodelação administrativa, desportiva e financeira de uma instituição com prejuízos de 52 milhões de euros no primeiro semestre de 2019/20.

O atual elenco diretivo mudou quatro dos 13 rostos e inclui os empresários José Américo Amorim e Paulo Mendes, que substituem Eduardo Valente e Emídio Gomes, enquanto o antigo guarda-redes Vítor Baía regressa para assumir a pasta do futebol profissional e o 'bibota' e diretor de prospeção Fernando Gomes passará a dirigir as camadas jovens.

Em negociações para a venda do 'naming' do Estádio do Dragão, Pinto da Costa promete edificar a Cidade do FC Porto e manter modalidades competitivas, sendo acompanhado por Lourenço Pinto (Mesa da Assembleia Geral), Jorge Guimarães (Conselho Fiscal e Disciplinar) e o autarca portuense Rui Moreira (Conselho Superior).

Pinto da Costa foi eleito pela primeira vez presidente do FC Porto a 17 de abril de 1982. Nessa altura foi sozinho às urnas, pois alguns dias antes o banqueiro Afonso Pinto de Magalhães retirou a sua candidatura, mantendo apenas a lista ao Conselho Superior, que acabaria por ser derrotada, conseguindo apenas 687 votos, naquele que foi o ato eleitoral mais concorrido da história dos dragões, com 4573 votantes num universo de 38 mil sócios. A afluência foi de tal ordem que os boletins chegaram a esgotar, o que obrigou a uma complicada operação logística por parte da mesa da assembleia geral.

Eis a lista completa dos órgãos sociais de Pinto da Costa.

CONSELHO DIRETIVO

Presidente: Pinto da Costa.

Vice-presidente: Adelino Caldeira.

Vice-presidente: Alípio Jorge.

Vice-presidente: Fernando Gomes.

Vice-presidente: José Américo Amorim Coelho.

Vice-presidente: Paulo Morais Mendes.

Vice-presidente: Vítor Baía.

Vogal: António Borges.

Vogal: Eurico Pinto.

Vogal: Fernando Gomes.

Vogal: Luís Fernandes.

Vogal: Rodrigo Barros.

Vogal: Vítor Hugo.

MESA DA ASSEMBLEIA-GERAL

Presidente: Lourenço Pinto.

Vice-presidente: Nuno Manuel Cerejeira Matos Namora.

Secretário: Fernando Maria Novo Sardoeira Pinto.

Secretário: Luís Filipe Castro de Araújo.

Secretário: Joaquim Manuel de Sousa Ribeiro.

Suplentes: Antero Tavares de Castro, Ludgero Barreira Ramos de Castro e José Manuel Rebelo da Silva Dias dos Santos.

CONSELHO FISCAL E DISCIPLINAR

Presidente: Jorge Carvalho Guimarães.

Vice-presidente: Filipe Carlos Ferreira Avides Moreira

Secretário: José Manuel Taveira dos Santos.

Relator de contas: José Augusto dos Santos Saraiva.

Relator de contas: Luís Filipe dos Santos Almeida Monção.

Relator de contencioso: André Ferreira Antunes.

Relator de sindicância: José Pedro Busano de Sousa Vieira.

Suplentes: Nélia Sofia Ferreira Couto Lopes Novo e Mário Nuno Chaves Soares.

CONSELHO SUPERIOR

Rui Moreira, Felisberto Querido, Eduardo Vítor Rodrigues, Luís Montenegro, Pedro Marques Lopes, Jorge Filipe Correia, Manuel Macedo, Manuel Pizarro, António Bragança Fernandes, Fernando Cerqueira, Deocleciano Carvalho, Tiago Barbosa Ribeiro, Raúl Peixoto, Luís Artur Ribeiro Pereira, António José Sousa Magalhães, Jorge Cernadas, Matilde Passos Ribeiro, Nuno Cardoso, Manuel Ferreira da Silva e José Barbosa Mota.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG