Piloto de Moto2 é suspenso e vê licença de piloto retirada depois de travar colega

Romano Fenati já tinha sido despedido pela sua equipa porque acionou o travão da moto do adversário que se encontrava a seu lado na pista

O Tribunal da Federação Italiana de Motociclismo (FIM) retirou esta terça-feira a licença do piloto Romano Fenati por ter acionado o travão dianteiro da moto de um concorrente para a fazer desacelerar, no Grande Prémio de San Marino de Moto2.

"Considerada a gravidade do gesto, o requerimento do Ministério Público Federal foi totalmente acolhido e o Tribunal Federal decidiu suspender Romano Fenati de todas as atividades desportivas e federais e retirar-lhe a licença de piloto", informou a FIM em comunicado. O Tribunal também solicitou uma audiência na próxima sexta-feira, 14 de setembro, com Fenati, que "tem o direito de receber apoio legal".

O grave gesto antidesportivo de Fenati aconteceu no último domingo, numa fase da corrida em que procurava ultrapassar o seu compatriota Stefano Manzi, e levou a sua equipa, a Marinelli Snipers, a rescindir unilateralmente o contrato com o piloto.

"Podemos informar que a Marinelli Snipers rescindiu contrato com o piloto Romano Fenati pela sua conduta antidesportiva, inqualificável, perigosa e negativa para a imagem de todos", afirmou o assessor da equipa, Stefano Bedon.

Além disso, o fabricante MV Agusta anunciou, também, que pretende anular o acordo que tinha assinado recentemente com Fenati para a próxima temporada. "Ele não representa os verdadeiros valores da nossa empresa", escreveu o proprietário da marca, o italiano Giovanni Castiglioni, numa rede social.

Entretanto, Fenati pediu desculpas publicamente pelo seu gesto e afirmou em várias entrevistas publicadas na imprensa italiana que não exclui a possibilidade de se retirar do motociclismo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG