O falso jogador que enganou quatro clubes e acabou preso

Bernio Verhagen é holandês, tem 25 anos e conseguiu "enganar" quatro clubes.

Bernio Verhagen é holandês, tem 25 anos e fazia-se passar por jogador de futebol. Terá enganado quatro clubes até ser detido por violência doméstica.

O único registo que a federação holandesa tem de Verhagen é que ele passou pela formação do Willem II em 2009 e por três equipas amadoras. Um escasso currículo que aliado a um golaço que circula no YouTube o ajudou a "vender-se" a alguns clubes. O primeiro foi um emblema moldavo, o Dinamo-Auto FC. Assinou e saiu do clube sem um minuto jogado, depois de vários agentes alertarem um vice-presidente do clube para o facto de o dito "jogador" estar envolvido numa fraude com cartões de crédito.

E sem se perceber muito bem como, acabou por assinar pelo Cape Town City, da África do Sul, onde rapidamente perceberam que as suas capacidades técnicas deixavam a desejar. Os sul-africanos demoraram apenas 26 dias até rescindirem contrato com o "extremo" - assim se apresentava. Segundo declarações de um vice-presidente do Cape Town, "o jogador nunca mostrou as capacidade que se via no vídeo, mas tinha uma atitude muito boa".

Seguiu-se o Audax Italiano, no Chile. E mais uma vez assinou, treinou e deixou o clube sem se estrear. Mas desta vez o motivo da saída foi extrafutebol. Verhagen abandonou a equipa depois de acusar os colegas de racismo e bullying. "Chamavam-me macaco, preto, escravo. Roubaram-me dinheiro do balneário, Acredita? Jogadores profissionais a fazer uma coisa dessas... tenho provas... mensagens, vídeos", acusou o holandês, depois desmentido pelo emblema mexicano.

As confusões no Chile acabaram por o levar à primeira divisão dinamarquesa, ao Viborg. Supostamente agenciado pelo Stellar Group - empresa que reprenseta jogadores como Gareth Bale, Saúl Ñíguez, Troppier e Máxi Gómez -, o holandês foi contrato. "Mal sabia fazer um passe a três metros", escreveu a imprensa dinamarquesa. A 26 de novembro, a equipa dinamarquesa rescindiu contrato e o CEO, Morten Jensem, declarou: "Ficou claro que este é um grande golpe que pode envolver muitas pessoas em muitos países."

Durante a passagem pela Dinamarca acabou mesmo detido. Primeiro foi notícia por ameaçar a ex-mulher e o pai dela, depois foi acusado pela nova namorada, uma mulher chilena, que o acusou de a ter sequestrado e de lhe bater. Acabou mesmo detido devido a uma discussão na via pública, depois de várias pessoas assistirem às agressões à namorada e terem chamado a polícia. Quando percebeu que ia ficar em prisão preventiva, aproveitou o momento em que ia ser presente ao juiz para fugir... A polícia montou então um forte dispositivo policial e localizou o holandês num porão em Holstebro, a 100 quilómetros do local de onde fugiu. E assim acabou a aventura do falso jogador.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG